TJ julga caso Ricardinho AN/

Foto: AN

Esta coluna foi produzida pela Redação do Diário Catarinense. O colunista Cacau Menezes está em férias e retorna a este espaço em agosto. 

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) julga na quinta-feira, 20 de julho, o recurso do ex-policial militar Luis Paulo Mota Brentano, condenado a 22 anos e oito meses de prisão pela morte do surfista Ricardo dos Santos, o Ricardinho, em janeiro de 2015 na Guarda do Embaú, em Palhoça. O defensor de Mota, Leandro Gornicki Nunes, pede a anulação do júri popular ou a redução da pena. Três desembargadores vão votar. Caso seja mantida a pena e o julgamento, a defesa pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). O Ministério Público foi contra a anulação do júri, mas concordou com parte do pedido de redução de pena. A sessão da Câmara começa às 9h, mas o caso Ricardinho é o 34º na pauta.

Cocreation Lab

Aos que têm ideias criativas: o Cocreation Lab está com edital aberto até o dia 20. A cada semestre, o projeto do Sapiens Park seleciona propostas de tecnologia, design, artes, turismo e gastronomia para ocupar o espaço colaborativo localizado no mezanino do Museu da Escola Catarinense (MEC), no Centro de Florianópolis. trata-se de uma pré-incubadora que dá uma forcinha para os negócios relacionados à economia criativa. Potencial para essa área Santa Catarina tem.

Tendência na música

O Spotify fechou um contrato de licenciamento com um segundo grande selo, a Sony, segundo notícias veiculadas na imprensa. A gravadora concordou em reduzir o valor dos royalties que o serviço de streaming tem de pagar, desde que restrinja o acesso a novos álbuns aos assinantes pagos em duas semanas antes de liberar aos usuários gratuitos.  Avaliado em US$ 13 bilhões, o Spotify  já havia assinado acordo parecido com a universal. Termos favoráveis de royalties são essenciais para a empresa sueca ser rentável.

Acompanhe as últimas publicações de Cacau Menezes

MEC pressiona por celeridade nos planos de educação

Semelhante a Pokémon Go, app usa realidade aumentada com a fauna brasileira

Estudante da UFSC cria religião para o game Overwatch e mostra como é fácil abrir uma igreja no Brasil

 Veja também
 
 Comente essa história