Desvio de dinheiro na UFSC já havia sido investigado em 2008 Felipe Carneiro/Agencia RBS

Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

Desde  2008 — e já se vão nove anos — Cacau já alertava sobre os desmandos na UFSC, que resultou na prisão, pela primeira vez, de um reitor da UFSC durante a semana. No dia 7/3/2008 , com o título "Paredão", publiquei a seguinte nota:

"As investigações, agora na área policial, sobre desvios de dinheiro graúdo nas fundações que dão apoio à UFSC caminham com velocidade. Estão nas mãos do delegado Célio Nogueira Pinheiro, da  Delegacia de Investigações Criminais (Deic) e já na próxima semana poderão ser anunciadas as primeiras conclusões sobre as suspeitas de desmandos praticados na Fundação de Ensino e Engenharia de Santa Catarina (Feesc).  

Faz exatos 12 meses que a referida fundação está sob intervenção judicial, por determinação do juiz da Fazenda Pública de Florianópolis. Tudo  a pedido do Ministério Público Estadual (MP-SC), com base em representação da Delegacia de Receita Previdenciária, que detectou irregularidades nas contas. 

A Feesc deve R$ 5,5 milhões ao governo federal (INSS). O MP-SC rejeitou as contas de 2004 de quatro fundações 'de apoio' relacionadas com a UFSC: Feesc, Fundação José Arthur Boiteux (Funjab), Fapeu e Fepese. "

Contra o câncer
Paciente que faz tratamento há cinco anos contra o câncer — primeiro a doença se manifestou no intestino e, agora, no pulmão — disse ao Serviço Secreto do Cacau que a qualidade dos serviços no Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepom) vem caindo a olhos vistos. Por falta de recursos, a instituição diminuiu a quantidade de quimioterapias, e as cirurgias, mesmo emergenciais, vêm sendo adiadas, formando filas que podem durar meses para serem atendidas.

Caso Gallo
O procedimento preliminar que apura acusação formulada pelo advogado Felisberto Odilon Córdova contra o desembargador Eduardo Gallo teve prosseguimento sexta-feira, oportunidade em que o desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann, responsável pelos trabalhos, promoveu a oitiva de quatro testemunhas: os juízes Pedro Aujor Furtado e Ricardo Andrade e os advogados Felisberto Odilon Córdova e Rafael Peliciolli Nunes. 

Haverá necessidade ainda de ouvir outras pessoas, referidas nos depoimentos de sexta-feira.

É tudo mentira
Leitor e engenheiro Ribamar Kobe acha, diante do que vê, assim com todo o país, perplexo, que nem mesmo a delação premiada dos advogados do ex-presidente Lula o levariam para a cadeia. Por falta de provas.

Padrinho
Senador Dário Berger (PMDB-SC) emplacou o ex-promotor de Justiça, que também foi seu procurador na prefeitura de Floripa e assessor parlamentar Jaime de Sousa na diretoria Administrativa da Eletrosul, em substituição a Laércio Faria. O novo diretor administrativo tomou posse na tarde de sexta-feira. 

Iguais
Mais um pouquinho de investigação e chegaremos a conclusão que o PMDB nacional assaltou tanto ou um pouco mais os cofres públicos do que o PT. Imaginem juntos, como foi até o impeachment de Dilma.

Acompanhe as últimas publicações de Cacau Menezes

Leia também: 

Justiça manda soltar suspeitos detidos em operação na UFSC

Presos em operação da PF passam primeira noite em cela separada na Penitenciária de Florianópolis 

Prisão de reitor abala a UFSC

Capes sabia das denúncias de irregularidades na UFSC desde maio 

"Ele não tem participação em nenhum ilícito penal", afirma advogada de defesa do reitor da UFSC 

Vice-reitora assumirá a UFSC na próxima segunda-feira 

Saiba quem são os sete presos e os cinco conduzidos em operação da PF na UFSC

Como funciona o sistema Universidade Aberta do Brasil, em que houve o desvio de recursos que resultou na prisão do reitor da UFSC



 Veja também
 
 Comente essa história