Ex-executivos de multinacional abrem cervejaria na Serra de SC Leo Munhoz/Agencia RBS

Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

 Parar pra quê? Ainda quando atuava como diretor administrativo da maior multinacional geradora de energia no país, a Engie Brasil Energia (então Tractebel), em Florianópolis, o executivo Luciano Andriani começou a pensar numa atividade nova pós-aposentadoria. Optou por fundar uma cervejaria artesanal junto com os dois filhos e convidou também para ser sócio o advogado da Tractebel Ronaldo Dutra Ferreira, já premiado cervejeiro artesanal. Depois, incluíram na sociedade o mestre cervejeiro Vinícius Carpentieri. Situada na localidade de Mato Francês, interior de Rancho Queimado, na Serra catarinense, a Cervejaria Unika iniciou atividades em outubro do ano passado. Atua com as marcas Unika e Bruxa. Saiba mais na entrevista a seguir de Andriani (59 anos) e Dutra (43 anos) que levaram as marcas para o Festival da Cerveja de Florianópolis, que abriu quinta-feira e se encerra neste sábado.

Por que decidiu empreender logo após a aposentadoria?

Luciano Andriani – Não dá para ficar parado. A cervejaria é um sonho que a gente tinha, eu com os meus dois filhos, Bruno e Victor. Depois entrou o Ronaldo Dutra e o Vinícius Carpentieri. A idéia é ter um negócio pequeno, mas desenvolver com muita dedicação, que permita continuar trabalhando e produzindo alguma coisa.

 Quando começou a planejar a UniKa?

Andriani – Saí da empresa (Engie) no final de abril de 2015. Comecei a pensar sobre a nova atividade um ano e meio antes. A cervejaria é uma microempresa. A gente já fazia cerveja artesanal em casa. Então decidimos ampliar. Nossa fábrica tem capacidade para 15 mil litros, podendo chegar a 30 mil.

E você Dutra, como entrou no mundo da cerveja?

Ronaldo Dutra – Eu era cervejeiro caseiro e trabalhava como advogado da Tractebel. Eu me destacava na elaboração de cervejas, ganhei vários prêmios nacionais. Em função disso, aumentou o assédio até que um dia o Luciano me fez uma proposta irrecusável que virou projeto de vida. Aí entrei num programa de demissões voluntária da empresa e optei pela cervejaria.

Quanto foi o investimento?

Andriani - Especificamente nos equipamentos de cervejaria nós investimos R$ 1,2 milhão. Isso não inclui o investimento no prédio e na infraestrutura. Isso a gente aluga.

 Com quantas marcas atuam?

Dutra – Tínhamos a Unika e incluímos a Bruxa. A linha da Bruxa é de cervejas no estilo belga. E a da Unika tem produto com linha local. É uma cerveja de qualidade, mais leve. A Unika inclui linha de cervejas da escola americana, muito em moda hoje no mundo, consumida mais por jovens, que estão em sintonia com o mercado internacional.

 Como dividem a gestão?

Andriani – O Ronaldo e o Carpentieri são cervejeiros, eu cuido da administração e o Ronaldo cuida também do comercial. Todos pegam no batente. Somos em poucos. Estamos contratando duas pessoas e utilizamos muitos serviços de terceiros. Começamos a produzir no final de setembro e início de outubro. Estamos ainda num processo bastante inicial, organizando muita coisa. Um dos desafios é a logística.

Como oferecem os produtos ao mercado?

Dutra - A gente já fez testes de garrafa. Mas, por enquanto, a demanda por chope tem sido bastante grande, então priorizamos o chope. No final de janeiro, devemos ter um produto nos padrões de qualidade para ser oferecido em garrafa. Nossa ideia é vender mais no mercado catarinense, mas estamos vendendo bem na região de Goiás. Podemos fazer isso em outros Estados. A gente já mandou mais de 3 mil litros para Goiás.

Vocês estão prevendo visitação turística na cervejaria em Rancho Queimado?

Andriani – A partir de março, vamos receber visitação dentro da planta para as pessoas que agendarem. A idéia é inserir a cervejaria dentro das atrações turísticas de Rancho Queimado. Que as pessoas visitem o município e também conheçam a cervejaria. Vamos mostrar a produção e permitir que as pessoas experimentem no próprio local. Rancho Queimado tem cerca de 40 condomínios que somam 1,2 mil casas de alto padrão. Temos um mercado potencial grande para venda local. A idéia e criar esse vínculo com o município e fazer parte das atrações turísticas locais. A fábrica fica um pouco fora, na área rural.

Terão loja também?

Dutra – Decidimos trazer um pouco da cervejaria para Florianópolis. Estamos abrindo na Rua Bocaiúva com a Alves de Brito um posto da fábrica. Teremos uma sala de degustação de cervejas. A loja será um ponto também para levar depois as pessoas a visitarem a fábrica em Rancho Queimado.

Acompanhe as publicações de Estela Benetti


 Veja também
 
 Comente essa história