Felipe Roman, CTO, e Théo Orosco, CEO, na nova sede Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

Fundada em 2015, a startup Exact Sales está de casa nova. A empresa acaba de se mudar para uma sede de 1,1 mil metros quadrados e planeja saltar de R$ 3,9 milhões para R$ 9 milhões em faturamento este ano. Com um portfólio que vai da casa de karaokê Cantinho da Fama à empresa de nanotecnologia Nanovetores, eles aplicam inteligência e tecnologia para ajudar a melhorar serviços e alavancar vendas. Confira entrevista com o CEO Théo Orosco:

Como foi a decisão de se transferir para uma nova sede? Houve um volume significativo de investimentos?
Procuramos algum lugar mais plug and play, ou seja, com uma estrutura mais perto da que precisávamos para mudar rapidamente. Decidimos por dois fatores principais: a mudança ser mais simples por já ter uma estrutura inicial montada pela empresa que ficava no prédio (a Softplan, cliente nosso) e por ficar no mesmo local de nossa unidade anterior, no Parque Tecnológico Alpha. 

Quais são as previsões de crescimento para a Exact Sales este ano? Algum segmento deve ter um avanço maior que os demais?
Atingiremos R$ 9 milhões em faturamento e um incremento de mais de 600 novos clientes em 2017. Estamos avançando muito na equipe de desenvolvimento e na equipe de sucesso do cliente, visando melhorar a experiência do nosso cliente, tanto com os softwares, quanto com o sucesso na utilização deles. Teremos diversas grandes novidades de lançamento nos softwares ao decorrer do ano, grandes entregas, como por exemplo toda e estrutura de e-mails do software Exact Spotter e o lançamento da estrutura nova de ¿Inteligência Mercadológica¿ de ambos os softwares.

Como a tecnologia pode ajudar as empresas a otimizar estratégia de vendas? Como vocês veem as tendências nessa área?
Vendas está se tornando uma área de processos, e a tecnologia pode auxiliar muito a tornar isso algo contínuo e repetitivo. Tal qual um chão de fábrica, no processo de vendas as equipes (marketing, pré-vendas, vendas) são como máquinas. Cada máquina tem uma capacidade específica, e, ao final, você terá mais ou menos produtos e com uma qualidade melhor ou pior. A tecnologia impulsiona essas máquinas, conferindo qualidade e eficiência para elas e levando as empresas ao sucesso. O software Exact Spotter, por exemplo, padroniza a qualidade do atendimento na prospecção ao cliente. Então, a meu ver, a tecnologia não substituirá o vendedor no mercado de vendas complexas, ela irá apenas torná-lo mais eficiente, vai fazer ele virar um ¿supervendedor¿. 

Acompanhe as publicações da coluna

Celesc busca US$ 345 milhões em financiamento para distribuição

PIB catarinense retrocede a patamares de 2011 e há previsão de cair 0,2% este ano 

Mulheres do Brasil têm reunião em Florianópolis


 Veja também
 
 Comente essa história