"Novo aeroporto da Capital será fundamental para aumentar o fluxo", diz CEO do Conselho Mundial de Turismo Embratur/Divulgação

Foto: Embratur / Divulgação

O presidente do Conselho Mundial de Viagens e Turismo, WTTC na sigla em inglês, David Sconsill, passou o Carnaval no Brasil a convite do presidente da Embratur, Vinícius Lummertz. Observou o setor no país, prometeu um congresso da entidade no Rio e também deu uma entrevista para a coluna. Confira: 

Como foi o turismo no mundo em 2016 e quais são suas expectativas para 2017?

Apesar de todos os problemas com ataques terroristas, mudanças políticas e epidemias, tivemos um crescimento de 3,1 % no mercado mundial de viagens e turismo, cerca de um ponto a mais que o crescimento da economia em todo o planeta. Para 2017 estamos projetando um crescimento ainda maior, cerca de 3,2% ou mais, sempre à frente do crescimento geral da economia. 

Com o legado da Copa e das Olimpíadas, o que dá pra fazer para aumentar o potencial turístico do Brasil?

Não há dúvida de que a realização da Copa e da Olimpíada Rio 2016 direcionaram os holofotes do mundo inteiro sobre o Brasil, sobre o Rio como destino turístico. Para aproveitar essa expectativa e transformar isso em mais turistas, o governo deve investir mais em promoção turística, reduzir ou acabar com exigências como o visto de entrada para turistas de diversos países (ou utilizar vistos eletrônicos), reduzir impostos para companhias aéreas e assim possibilitar redução nas passagens. 

É possível sair do patamar de apenas 6 milhões de turistas estrangeiros ao ano no Brasil?

O fluxo turístico em direção ao Brasil está há anos estacionado nessa faixa de 6 milhões a 6,5 milhões. Dá para mudar isso sim, com ações simples. Mudar a política de vistos é um dos pontos que têm de ser atacado. Céus abertos para aviação é outra medida importante. Mais companhias aéreas voando para o Brasil, conexões, concorrência, aumenta o fluxo com certeza. 

E Santa Catarina, o que pode fazer?

Temos uma relação muito forte com Santa Catarina, afinal, o WTTC fez um grande encontro nesse grande Estado, nessa linda cidade, Florianópolis, em 2008. Acho que o novo aeroporto da capital será fundamental para aumentar o fluxo. Atualmente só existe voo direto para Buenos Aires. Com o novo aeroporto vai dar para abrir novas linhas diretas. Só assim vai ser possível aumentar o fluxo de turistas internacionais. Quanto ao turismo de brasileiros, seu Estado vem fazendo um bom trabalho. Acho que uma boa coisa para SC tentar, em especial pra atrair visitantes estrangeiros, é trabalhar com fortes estratégias de marketing um novo produto turístico a cada dois anos.

Projeto que prevê parque aeronáutico em Ratones, em Florianópolis, ainda não foi aprovado  Foto: Reprodução / Grupo Costa Esmeralda

Problemas com a segurança realmente tem afastado turistas do Brasil?

Eu não acredito nisso. Você compara com outros países onde há problemas com terrorismo, como Tunísia, Turquia, e mesmo em destinos como França e Bélgica, e vê que no Brasil as coisas não são tão ruins. O que é preciso é trabalhar fortemente para mudar a percepção de que o Brasil e o Rio de Janeiro não são seguros. 

Essa polêmica do Trump está atrapalhando o turismo?

Trump é um empresário. Ele sabe que nossa indústria traz desenvolvimento, gera empregos. As medidas que ele anunciou há cerca de três semanas, fechando os Estados Unidos para a entrada de pessoas de outros países, dá a impressão de que o país está se fechando. Claro que isso não é bom, mas acredito que ele dará outra orientação. Mas isso não traz nenhum efeito para os demais países, incluindo o Brasil.

Acompanhe as publicações de Estela Benetti

Leia também: 



 Veja também
 
 Comente essa história