Sazonalidade e crise fazem SC fechar março com retração no emprego formal Diego Redel/Agencia RBS

Foto: Diego Redel / Agencia RBS

O fim da temporada de verão no litoral e da colheita da maçã na Serra e Meio Oeste, mais a continuidade da crise derrubaram a oferta de emprego em Santa Catarina em março. O Estado, após saldo positivo de 26.398 nos primeiros dois meses do ano, fechou 4.638 vagas mês passado. O agronegócio liderou a retração, com -3.587, seguido pelos serviços, com -1.521 vagas, e o comércio, com -1.314. Fraiburgo, maior produtor de maçã do Estado, fechou 1.315 vagas em março. Florianópolis (-2.265), Balneário Camboriú (-549) e Itapema (-346) encerraram postos de trabalho na área de serviços de hotéis, gastronomia e outros. A indústria de transformação teve saldo positivo de 1.352 empregos no mês e de mais 18.201 vagas no primeiro trimestre. Contudo, essa expansão não foi suficiente para anular os resultados negativos dos demais setores

Acompanhe as publicações de Estela Benetti


Alterações no projeto da reforma da previdência impactam nas previsões de economia do governo federal 

Leilão da Aneel inclui projetos de R$ 1,5 bilhão para o Estado

Destaque de SC na produção de leite é mais um reconhecimento para o modelo do agronegócio 

 Veja também
 
 Comente essa história