Joinville trabalha em sistema para otimizar gastos na saúde Marcello Casal Jr. / Agência Brasil/Agência Brasil

Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil / Agência Brasil

Um dos maiores dramas do Brasil é a falta de serviços de saúde de qualidade para todos. É claro que é um problema até em muitos países ricos. Mas poderia ser bem menor ser houvesse maior controle dos desperdícios que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) vão de 20% a 40% do total investido na área. Em SC, já existem boas iniciativas de redução dessas perdas tanto no setor privado, quanto público. 

Segundo a especialista em planos de saúde Irene Minikovki Hahn, no setor privado do país, 20% representam R$ 27 bilhões por ano em desperdícios. Nessa conta estão exames de ressonância magnética e tomografias que, se comparados com a média internacional, apontam excessos superiores a R$ 3 bilhões. Conforme a OMS, mais de 50% dos medicamentos são prescritos de forma incorreta. Para Irene Hahn, a solução é ter auditoria mais focada na qualidade da assistência, usar mais indicadores de instituições, análise e comparação de dados. 

É nessa linha, com registro digital de todos os procedimentos, que Joinville, município que mais investe em saúde entre os maiores de SC - 41% da receita tributária - está trabalhando. Vem implantando o Sistema Integrado de Gestão que integra informações sobre os prontuários dos pacientes. Segundo o diretor executivo da Secretaria de Saúde de Joinville, Jean Rodrigues, a meta é otimizar em cerca de 35% os gastos com medicamentos e 30% em exames. Hoje, há muita repetição de procedimentos, observa. Ele diz que do total investido em saúde, 65% são recursos do município, 33% da União e 2% do Estado. 

Nos hospitais estaduais também há queixas sobre desperdícios. Sistemas digitais, com certeza, ajudarão nos controles.  


O Brasil no longo prazo
Atento aos entraves econômicos do Brasil, o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do BRDE, o ex-senador e ex-deputado Neuto De Conto, que em 1994, na Câmara, foi relator do projeto do Plano Real que acabou com a hiperinflação, diz que são necessárias pelo menos três medidas para o país ter mais estabilidade econômica no longo prazo. Ele defende a independência do Banco Central, reforma política que reduza o total de partidos para cinco ou menos, e controle rigoroso da corrupção. 

— O BC tem que ser totalmente independente para conduzir a economia com visão de futuro. Como funciona o Ministério Público? É independente. Se o BC tivesse autonomia total, o resultado teria sido diferente – disse sobre a última recessão. 

Sua atuação no projeto que derrubou a inflação ele contou no livro O Milagre Real, de 2011. Como mantém pequeno estoque da obra, eventualmente autografa exemplares para amigos. 

Sucessão na Facisc
O empresário Jonny Zulauf, de São Bento do Sul, atual vice-presidente da Federação das Associações Empresariais de SC (Facisc), será o sucessor de Ernesto João Reck, de São Lourenço do Oeste, na presidência da entidade. O conselho diretor da federação vai eleger a nova diretoria dia 18 de agosto, em Rio do Sul, durante a Fersul. 

Henzel na Fersul
A Associação Empresarial de Rio do Sul (Acirs) realizará a Fersul 2017, Feira Multissetorial do Alto Vale do Itajaí, de 16 a 19 de agosto, no Centro de Eventos Hermann Purnhagen. Entre os palestrantes, o jornalista Rafael Henzel, sobrevivente da tragédia da Chapecoense, e a comentarista de economia da Globo, Miriam Leitão. 

Ministro de Portugal
Quem visita SC é o ministro da Ciência e Tecnologia de Portugal, Manuel Heitor. Veio a Florianópolis para reunião com o presidente da Fundação de Amparo à Tecnologia de SC (Fapesc), Sergio Gargioni, sobre o andamento do Atlantic International Reseacrh Center (AIR Center), um projeto visa criar instituição voltada à pesquisas científicas sobre o Oceano Atlântico. Um dos problemas em foco são os plásticos jogados ao mar. 

Novo nicho
Uma das três maiores indústrias de implementos rodoviários do Brasil, a Librelato, de Içara, estreia em mais um segmento.  Investiu R$ 7 milhões em linha de furgões frigoríficos, que lançará nos próximos dias. Prevê produzir 20 unidades/mês. 

Efapi 2017
Chapecó lança amanhã, às 19h30min, no Clube Chapecoense, a Efapi 50 anos, um dos principais eventos comemorativos do centenário do município. A feira será de 6 a 17 de outubro. 

Acompanhe as publicações de Estela Benetti


Aeroporto Hercílio Luz entra em uma nova era 

Famílias catarinenses pretendem gastar cerca de R$ 155 reais no Dia dos Pais

 Veja também
 
 Comente essa história