Empresas catarinenses mantêm o otimismo com exportação Porthus Junior/Agencia RBS

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O câmbio favorável às exportações e o reaquecimento da economia internacional parecem motivar os empresários catarinenses a olhar com entusiasmo para as perspectiva de comércio exterior. De acordo com a Análise do Comércio Internacional Catarinense 2017, que será apresentada nesta terça-feira na sede da Fiesc, 92% das empresas consultadas pretendem aumentar a participação nos mercados em que atuam ou abrir novos mercados e entre esse e o próximo ano. O documento informa também que de 2015 para 2016, a participação das exportações no faturamento aumentou para metade das empresas ouvidas (50,5%). Para 26,7% os embarques mantiveram-se estáveis e para 22,8% foi menor. 

Para Glauco José Côrte, presidente da Fiesc, o Estado vem continuamente ganhando espaço no comércio exterior. Apesar de ter apenas 1% do território nacional e o sexto maior PIB, representa 4,1% das exportações e 7,5% das importações no país. O desafio ainda é avançar na participação de produtos com alto valor agregado embarcados para o exterior: 

— Ainda que o montante seja significativo, 51% dos produtos exportados em 2016 eram de baixa tecnologia, concentrados em bens de consumo e intermediários, e apenas dez produtos respondiam por 60,5% da pauta exportadora. Conhecer esse perfil é fundamental para delinear as expectativas futuras e ajudar a criar políticas públicas para estimular o comércio internacional. 

Em setembro, os embarques catarinenses para o exterior registraram um crescimento de 11,5% frente ao mesmo mês do ano passado, essa foi a 14ª alta consecutiva. No acumulado, as vendas de carne suína, de aves e soja seguem dominando a pauta exportadora.

O trabalho também destacou o avanço das empresas de médio e pequeno porte entre as que negociam no mercado internacional. Embora as grandes ainda representem a maioria das exportadoras, as pequenas, médias e micro avançam nesse sentido. Participaram da pesquisa 161 empresas dos segmentos de indústria, comércio e serviços. Colaborou Julia Pitthan.

Sesi investe em Xanxerê
Trabalhadores das indústrias de Xanxerê e região e a comunidade contam com uma moderna unidade do Sesi, entidade da Federação das Indústrias de SC (Fiesc). Com investimento de R$ 3 milhões, foi inaugurado ontem o novo prédio com mais de 800 metros quadrados e capacidade para atender cerca de 2,5 mil pessoas da região. O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, afirmou que o Sesi vai ampliar os serviços de saúde e educação de trabalhadores, o que é fundamental para a indústria ser mais competitiva.  

Voluntariado
Com o propósito de cruzar perfis de voluntários com ofertas de trabalho ou doação para entidades, foi lançada ontem a plataforma solidária Somar Floripa. A iniciativa é da primeira-dama da Capital, Cintia de Queiroz Loureiro. A rede prevê também capacitação para o trabalho solidário e incubadora social.
 O evento teve palestra do presidente da Peixe Urbano, Alex Tabor

Acompanhe as publicações de Estela Benetti

Lançado Movimento Floripa Sustentável por uma cidade melhor para todos

Tribunal do Trabalho decide em favor de microempresa

"Somos nós que estamos segurando a oferta de empregos no Brasil", diz presidente da Fampesc

 Veja também
 
 Comente essa história