BID aprova R$ 5 bi para a Finep, informa Kassab James Tavares/Secom

Foto: James Tavares / Secom

Durante o lançamento da segunda fase do laboratório LABelectron para o desenvolvimento de placas eletrônicas, e evento na sede da Associação Catarinense de Tecnologia, em Florianópolis, na manhã de ontem, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, informou que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) autorizou a liberação da maior cifra da sua história para ciência e tecnologia, R$ 5 bilhões ao Brasil. 

Segundo ele, esses recursos, que serão utilizados para financiamentos via Finep, a Financiadora de Estudos e Projetos nos próximos cinco anos, serão importantes para fortalecer a agência regional da instituição que foi inaugurada ontem à tarde na Capital para atender a Região Sul.

—  O contrato ainda precisa ser assinado com o BID. Foi aprovado quarta-feira passada. Tem uns procedimentos burocráticos. Mas temos  um planejamento para o uso dos recursos via Finep e ministério. Serão recursos muito importantes para o desenvolvimento de tecnologia e para o futuro do Brasil – afirmou o ministro.

Kassab antecipou que os financiamentos serão muito favoráveis e, por isso, serão recursos muito procurados. O ministério da Fazenda já aprovou a contratação. Ainda não há prazo para início, mas as liberações dos recursos serão em cinco anos.

Sobre a escolha de SC para sediar a agência da Finep na Região Sul, o ministro disse que a escolha tinha que ser o Estado pela sua vocação extraordinária para o empreendedorismo. A Finep está abrindo agências regionais. Tem sede no Rio, agência em São Paulo, abriu em Fortaleza e estará também no Centro-Oeste e no Norte. A agência da Finep para o Sul terá sede na Fapesc, dentro do Parque Alfa, em Florianópolis.

Laboratório mira indústria 4.0
Desenvolver placas eletrônicas em séries menores para a indústria brasileira, com ênfase na internet das coisas (IoT) ou indústria 4.0. Essa é a prioridade da segunda fase do LABelectron Nucleador, um laboratório de pesquisa e desenvolvimento aberto em 2007 pela Fundação Certi, com apoio de recursos federais. Nesta fase, serão investidores R$ 13 milhões da Secretaria de Política de Informática do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Sepin). O laboratório será transferido até o final do ano para o Instituto de Inovação Senai no Sapiens Parque. Segundo o superintendente da Fundação Certi, José Eduardo Fiates, esse laboratório se destacou graças ao incentivo pela Lei da Informática. Desde o início desta lei até agora, a Certi já recebeu R$ 116 milhões em pesquisas com base nessa lei. 

Colombo desabafa
O governador Raimundo Colombo falou da importância da união dos setores público e privado em favor da ciência, tecnologia e inovação, o que está acontecendo em SC com o governo, a Acate, Fiesc e dezenas de outras instituições. Para ele, os bons números da economia do Estado são resultado de produtividade e muito trabalho e criticou a forma de contratação pública. Disse que a empresa que ofereceu o menor preço para construir três centros de inovação parou pela metade as obras e a necessidade de nova licitação atrasou em três anos os projetos.

Efeito no Sinapse
O incentivo à inovação por meio dos 13 centros que estão sendo construídos está mudando a realidade do interior. Lages apresentou 113 dos 1.791 projetos para a próxima edição do Sinapse da Inovação, superando Blumenau. Para o presidente da Fapesc, Sergio Gargioni, o novo centro de inovação ajudou nesse salto no número de participações. 

Meirelles
Presidente licenciado do PSD, também o  partido do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, disse que o colega não se colocou como candidato.

- Ele deixou claro que a sua prioridade é com o trabalho à frente do Ministério da Fazenda, o que mostra a sua responsabilidade, o seu espírito público – disse. Quanto a Meirelles se considerar presidenciável, Kassab falou que é evidente que sim. É uma pessoa preparada, tem currículo, formação e experiência para ser presidente do Brasil, observou.

Um nome de centro
Sobre os partidos de ideologia de centro se articularem para ter um candidato único à presidência da República, Kassab disse que é possível.

- Acho que sim, que é o caminho. O centro no Brasil e o brasileiro tem essa vocação para o equilíbrio, para compatibilizar e fazer conciliações. Portanto, eu acredito que a saída, no final desse processo de seleção de candidatos por parte dos partidos, será encontrarmos um projeto que possa ser abraçado por um candidato que represente o Centro ideológico do país – disse o ministro. 

Acompanhe as publicações de Estela Benetti

Exportações em SC crescem 19,4% em outubro 

"Ciência e tecnologia não podem sofrer descontinuidade", diz Cintra, da Finep 

Arrecadação do Estado cresce 8,4% até outubro

 Veja também
 
 Comente essa história