Consumidor e varejo de Santa Catarina mais otimistas Porthus Junior/Agencia RBS

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Apesar de alguns setores da economia ainda enfrentarem altos e baixos devido à recessão encerrada no fim do ano passado, o varejo do Estado não tem motivos para reclamar, tanto pelo presente, quanto pelo cenário futuro. Os consumidores estão mais otimistas, isso se reflete nas vendas e anima os lojistas. Uma prova disso foi o Dia da Criança, quando o valor médio gasto para a data cresceu 35,6% frente ao mesmo período do ano anterior, segundo pesquisa feita pela Fecomércio SC. 

Além disso, a ampla pesquisa mensal de vendas do IBGE mostra que a confiança aqui no Estado já se traduz em compras expressivas. O último levantamento, de agosto, apurou alta de 16,4% das vendas frente ao mesmo mês do ano passado. Esse cenário anima o setor para as vendas de Natal, que são a "safra" do setor. 

— Os resultados indicam a continuidade do ritmo de alta que o varejo catarinense tem registrado nos últimos 10 meses consecutivos — até agosto. É fato que o consumidor ainda se mantém cauteloso, mas vem demonstrando otimismo na hora compra, comportamento que prevê um aquecimento nas vendas impactando positivamente no desempenho do comércio no final do ano  —  analisa o empresário Bruno Breithaupt, presidente da Fecomércio SC.

Para o economista da Fecomércio, Luciano Córdova, o crescimento na geração de empregos no Estado, inclusive no comércio, está ajudando a melhorar a confiança do consumidor. Ele observa também que há uma redução do endividamento e da inadimplência. Pesquisa da federação apontou que 58,9% das famílias do Estado estavam endividadas no mês passado, enquanto em maio eram 63,2%. Além disso, 20% desses endividados estão atrasando prestações em até três meses. A inadimplência, com atrasos acima de três meses, atinge 3% dos consumidores, uma média histórica do Brasil, o que mostra normalidade da economia. Esse cenário mostra que as empresas que atuam em SC podem fazer um estoque maior para o final do ano. 

Rumo a 1 milhão de sócios 
Se associar a uma cooperativa de crédito é a alternativa mais fácil de fugir dos custos elevadíssimos dos serviços dos bancos comerciais no Brasil. Em Santa Catarina,  muitas pessoas já descobriram isso e aderiram ao cooperativismo. É por isso que o Sistema Cecred, um dos que operam no Estado com destaque no Vale do Itajaí, que reúne 13 cooperativas, projeta que vai alcançar 1 milhão de associados até 2020. Atualmente, conta com 600 mil. Essa projeção otimista integra o novo planejamento estratégico da central cooperativa e foi feita durante o seminário de dirigentes da organização, realizado semana passada, em Balneário Camboriú

— Nossa missão é fazer as pessoas felizes. No caso das cooperativas de crédito, é possível fazer isso através da educação, da disseminação de informações e de um relacionamento confiável e justo com o nosso cooperado — afirmou o presidente do conselho do Sistema Cecred, Moacir Krambeck, no evento. 

Comunicação não violenta
Quando se fala em violência, vem à mente a série de assassinatos, guerras, acidentes de trânsito e outras. Mas existe também a violência da comunicação, verbal ou não. Essa pode afetar o resultado de empresas, a felicidade de famílias e muito mais. Por isso, um tema que ganha força no mundo empresarial é a comunicação não violenta (CNV) ou comunicação assertiva. Este foi o tema do evento Sesc Reúne, na manhã desta terça-feira, em Florianópolis, para executivos e empresários. A palestrante do evento, a psicóloga e máster coach Vanusa Cardoso, disse que a comunicação assertiva pode ser desenvolvida e gerar mais resultados para as empresas. Segundo ela, o comportamento agressivo da chefia gera prejuízos e conflitos muitas vezes irreversíveis. 

Acompanhe as publicações de Estela Benetti

 Prêmio Stemmer 2017 tem 13 premiados

Parcerias entre Brasil e Argentina no turismo devem render mais negócios

BID aprova R$ 5 bi para a Finep, informa Kassab


 Veja também
 
 Comente essa história