Merisio: controle e enxugamento Alan Pedro/Agencia RBS

Deputado Estadual Gelson Merisio (PSD), presidente da Assembleia Legislativa

Foto: Alan Pedro / Agencia RBS

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gelson Merisio (PSD), concede coletiva hoje para anunciar novas medidas de redução de despesas, maior controle financeiro e de enxugamento administrativo. O plenário aprovou projeto da Mesa Diretora que prevê a extinção de 342 cargos efetivos de nível médio, que não serão preenchidos quando vagarem nos próximos três anos por aposentadoria. Em relação aos 800 cargos comissionados, Merisio sustenta que são temporários e, a depender dos recursos orçamentários, podem ser reduzidos ou aumentados conforme a necessidade dos deputados. São todos preenchidos pelos gabinetes.

 

Merisio tem afirmado que "os tempos mudaram, e a gestão pública precisa se adaptar". Lembrou que a área de recursos humanos precisava de 40 servidores para elaboração mecânica da folha salarial e hoje são necessários apenas sete funcionários. O setor de taquigrafia tem hoje 40 profissionais. Com o software transferido pelo Tribunal de Justiça (usado nas audiências) não serão mais recrutados.

 

Uma comissão especial, paritária, será constituída hoje para fazer um levantamento funcional do Parlamento e definir quais as prioridades e as necessidades para os próximos 10 anos.

O presidente voltou a defender a extinção das secretarias regionais. Elas contam hoje com 2,6 mil servidores efetivos e mais 350 comissionados, além de 340 terceirizados. Com a extinção delas, os efetivos retornariam às repartições de origem, fortalecendo as ações setoriais do governo estadual.

Leia as últimas notícias

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história