O governador de SC, Raimundo Colombo, se reuniu com outros governadores, em Brasília, para tratar da aprovação da Lei do Teto, que visa o corte de gastos públicos para viabilizar a recuperação da economia e a retomada do desenvolvimento, e, sobretudo, a reforma da previdência. 

Colombo foi credenciado por Temer para ser o porta-voz dos governadores após a última reunião no Palácio do Planalto, quando a crise econômica e o desastre previdenciário que se avizinha foram analisados. 

As credenciais foram conferidas porque Santa Catarina foi apontada como exemplo para os demais Estados na reforma previdenciária. Já promoveu duas mudanças na lei estadual, ampliou a alíquota dos servidores ativos e aposentados de 11% para 14%, de forma gradativa e criou um fundo especial para inativos. 

A proposta de reforma da previdência que está sendo estudada em Brasilia, e que deverá ser enviada ao Congresso Nacional para mudança da Constituição Federal e leis estaduais, prevê aumento da alíquota de 11% para 14%, criação de um fundo previdenciário exclusivo para os novos servidores e elevação da idade mínima para 65 anos, com regra de transição. Nas reuniões em Brasília e em São Paulo, o governador Colombo ofereceu vários dados sobre as alterações feitas na legislação catarinense. Vários governadores já pediram cópias das novas leis e anunciaram o desejo de aprová-las em seus Estados. 

O governador catarinense apoia integralmente estas mudanças. Testemunhou nas declarações do presidente Michel Temer empenho pessoal em promover as reformas tão desejadas pela sociedade. E deu seu integral apoio.

Leia as últimas publicações de Moacir Pereira

 Veja também
 
 Comente essa história