Reitor da UFSC foi preso após voltar de Portugal  Charles Guerra/Agencia RBS

Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

O reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, professor Luiz Carlos Cancellier, foi preso na manhã desta quinta-feira pela Policia Federal  na Operação Ouvidos Moucos, deflagrada em conjunto com a Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas da União. Ele chegou ontem de Portugal, onde passou os últimos dias em evento internacional de Direito. Outros dois professores do Departamento de Administração da Universidade também foram presos. A acusação é de desvio de recursos no sistema dos cursos de ensino à distância e obstrução na realização de investigações sobre este projeto da Universidade. 

A Polícia Federal informou que 105 policiais estão cumprindo mandados expedidos pela 1ª. Vara da Justiça Federal de Florianópolis. São 16 de busca e apreensão, 7 mandados de prisão e 5 de condução coercitiva , além de 7 de afastamento de servidores de funções públicas. 

Os mandados estão sendo cumpridos em Florianópolis, Itapema e Brasília. Os policiais estiveram pela manhã no campus da Universidade Federal na Trindade e apreenderam documentos em várias de suas unidades, segundo informações da segurança do campus. O Chefe de Gabinete do Reitor, professor Áureo Moraes, declarou-se absolutamente surpreso com a prisão, sobretudo, por conhecer a atuação do professor Cancelier.  Ele tem informações de que as investigações referem-se aos cursos de ensino à distância desde 2006 período em que eram outros os dirigentes da UFSC. Está acionando a Procuradoria da Reitoria junto a Advocacia Geral da União para obtenção de outras informações.

O reitor Luiz Carlos Cancelier chegou nesta quarta-feira a Florianópolis, vindo de Lisboa. Permaneceu em Portugal durante uma semana, proferindo palestra em evento internacional de Direito e fazendo contatos com Universidades para projetos de intercâmbio acadêmico. Segundo a Reitoria, ele está incomunicável na sede da Policia Federal em Florianópolis.

Leia mais:

Operação da PF que prendeu reitor apura desvio de recursos

 Veja também
 
 Comente essa história