O presidente nacional do PTB, ex-deputado federal Roberto Jefferson, prevê uma renovação de 70% no Congresso Nacional nas eleições de 2018. Em viagens por todo o Brasil,participando de reuniões partidárias e palestras em múltiplos auditórios, identifica como majoritária aspiração da população novas formas de fazer política e mudança completa na representação política em Brasilia.

Ele disse que o centralismo tributário no governo federal, hoje de 65,5%, em detrimento dos municípios que recebem apenas 6,5% do bolo tributário, é insustentável.

Durante entrevista na CBN-Diário voltou a criticar o esquema de corrupção dos governos Lula e Dilma:  “Lula pretendia fazer a revolução pelas malas, comprando os liberais no Congresso Nacional. Se o esquema de corrupção não tivesse sido denunciado, o Brasil estaria vivendo hoje uma ditadura bolivariana pior do que Chavez e Maduro, e viraria um Estado Unitário.”

Jefferson defende um candidato de centro à presidência da República, indispensável com estilo pacificador, equilibrado, para somar forças de esquerda e de direita.

Descartou a candidatura presidencial de Lula “está condenado e terá a sentença confirmada no Tribuna Regional de Porto Alegre, tornando-se inelegível” , diz que o deputado Jair Bolsonaro não tem chances e que Ciro Gomes um risco, pois se trata de um político inteligente, mas sem controle emocional.

Roberto Jefferson vai disputar cadeira na Câmara Federal em 2018 pelo PTB de São Paulo.  Sua filha, Cristina, já é deputada federal pelo Rio de Janeiro e ele identifica-se com a ideologia do eleitorado paulista.

O presidente nacional do PTB cumpre programa em Santa Catarina tendo participado de reunião com  os trabalhistas locais e de um encontro na sede Sindifisco com lideranças de várias atividades profissionais  e possíveis candidatos em 2018.

Leia também:

"O Brasil vai sair engrandecido e a democracia, mais sólida", diz Roberto Jefferson

 Veja também
 
 Comente essa história