Ministro do STF quer apuração sobre morte do reitor da UFSC Carlos Moura/STF

Foto: Carlos Moura / STF

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal e presidente do TSE,  defendeu apuração de responsabilidades na prisão e morte do reitor Luiz Carlos Cancellier. Em três notas publicadas no Twitter manifestou:  "O falecimento de Cancellier, reitor da UFSC, serve de alerta sobre as consequências de eventual abuso de poder por parte das autoridades"; "Não estou antecipando responsabilização, mas o caso demonstra que, em algumas vezes, sanções vexatórias são impostas sem investigações concluídas"; "Acredito ser necessário que o Conselho Nacional de Justiça, o Conselho Nacional do Ministério Público e o Ministério da Justiça atuem no caso da morte do reitor."

A tragédia humana que comoveu Florianópolis e Santa Catarina, provocando repercussão nacional e até internacional, foi um dos principais destaques da imprensa nacional último fim de semana.

As revistas semanais de informação registraram o fato, sendo que a IstoÉ trouxe reportagem de duas páginas, ilustradas, sob o título "Morte anunciada".

Já o jornalista Élio Gáspari, premiado colunista de vários diários e com as páginas dominicais mais lidas em "O Globo" do Rio e "Folha de São Paulo", deu destaque à morte do reitor no comentário intitulado "Morte de Cancellier é um desencanto".  Enfatiza: "Nos dias de hoje, proibir um reitor afastado de pisar na universidade serve apenas para humilhá-lo. Vale lembrar que a ditadura nunca proibiu os professores que cassou de entrarem nas escolas".

A Nota
A Associações Nacionais dos Juizes Federais do Brasil, dos Procuradores da República, dos Delegados de Policia Federal e dos Juízes Federais de Santa Catarina emitiram nota conjunta em Brasília sobre a prisão e a morte do reitor Luiz Cancellier. Solidarizam-se com os familiares da vítima e se recusam a debater a tragédia, alegando que está havendo exploração política. Melhor contribuição dariam à Justiça e à democracia se respondessem a incontáveis indagações sobre a brutal injustiça cometida contra o reitor. O silêncio não esclarece nada. 

 Leia outras publicações de Moacir Pereira desta segunda-feira 

Inauguração
Entregue a restauração da SC-157, ligando Chapecó a São Lourenço do Oeste e agora com o nome de Rodovia Angelo Fantin. Trata-se de homenagem ao fundador do grupo Parati, a principal indústria de São Lourenço.  Defensor permanente da obra desde 2011, quando secretário de Infraestrutura, o deputado Valdir Cobalchini participou da inauguração com o governador Raimundo Colombo e os deputados Celso Maldaner e Mauro de  Nadal.

JBS fecha
Lideranças políticas, empresariais e de trabalhadores estão mobilizadas no Sul do Estado contra o fechamento da unidade da JBS em Morro Grande. O encerramento está confirmado para quarta. Naquele dia haverá um protesto público reunindo prefeitos, empregados e parlamentares. Segundo os prefeitos, há quatro grupos de investidores interessados em comprar o frigorífico, "mas a JBS só cria dificuldades".

Condenado
O ex-prefeito de Curitiba Cássio Taniguchi foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Paraná por improbidade administrativa em ação impetrada pelo Ministério Público paranaense. Refere-se à distribuição de material destinado à propaganda política paga com dinheiro público. A decisão implica, também, na suspensão dos direitos políticos por oito anos e veto à contratação co o poder público. Cabe recurso.

Taniguchi é o secretário da Região Metropolitana de Florianópolis e integra o governo do Estado.

Congresso médico
Realizado no fim de semana no Centrosul o 18º Congresso Brasileiro de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, com a presença de 1,8 mil especialistas em cura da obesidade: cirurgiões bariátricos, nutricionistas, psiquiatras, endrocrinologistas. Evento da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. Foram 140 palestras com os mais respeitados nomes da especialidade na América Latina, Europa e Estados Unidos.

Vigilância
A nota lamentável do congresso foi dada pela descabida intervenção da Vigilância Sanitária da prefeitura de Florianópolis. O evento tinha alvarás dos Bombeiros, da prefeitura e de outros órgãos públicos. Pois a vigilância municipal decidiu notificar empresas e entidades cujos estandes ofereciam cafezinho aos visitantes. Ameaçou até interditar o congresso. Pode, prefeito?

Curtas

*A Associação Catarinense de Engenheiros promove hoje exposição sobre a operação de transferência de carga do vão central da Ponte Hercílio Luz.

*Florianópolis está sendo sede até o dia 11 do Congresso Brasileiro de Epidemiologia. O evento reúne cerca de 4 mil participantes.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira 

Leia também:  

Associação dos Magistrados de SC repudia críticas à atuação do Judiciário na Operação Ouvidos Moucos

Sessão do Conselho Universitário definirá sucessão na reitoria da UFSC 

Gilmar Mendes sugere apuração de eventuais excessos na morte do reitor 

Associações de juízes, procuradores e delegados da PF se manifestam sobre morte de reitor da UFSC

Suma justiça, suma injustiça: a Operação Ouvidos Moucos em debate 

"Estão fazendo terrorismo de Estado em nome da Justiça", diz desembargador


 Veja também
 
 Comente essa história