O fundo eleitoral da vergonha Antonio Augusto/Câmara dos Deputados

Foto: Antonio Augusto / Câmara dos Deputados

O deputado federal Celso Pansera, do PMDB do Rio de Janeiro, dono do restaurante Barganha e ex-ministro de Ciência e Tecnologia de Dilma, teve a ousadia de defender a aprovação do Fundo Eleitoral de financiamento de candidaturas, com argumentos ridículos.

- Se as doações empresariais estão proibidas, como vou fazer a minha reeleição? – indagou exaltado ao microfone, desprezando o interesse público e pouco se lixando que os 30% deste fundão indecente sejam retiradas das emendas de bancadas, suprimindo o pouco que saúde, educação e segurança tem reservados aos Estados e Municípios. 

Neste ritmo, advogados terão direito a propor um fundo de campanha para financiar a eleição dos conselhos nacional e estaduais. Da mesma forma, os engenheiros na renovação das diretorias do Creas. E vai por aí.

Partido político tem que existir e sobreviver com dinheiro de seus dirigentes, de seus parlamentares e de seus eleitores. O PT, por exemplo, no início de sua trajetória e antes de se lambuzar na corrupção, exigia um percentual dos salários dos parlamentares para garantir caixa.

Partidos e candidatos que não tiveram suporte financeiro dos filiados que façam campanhas pessoais, sem estes quantias fabulosas para compra de cabos eleitorais, milionárias produções televisivas, etc.

Os desavergonhados que defenderam o fundão eleitoral não cogitaram um minuto para aprovar proposta de redução do custo das campanhas. Tirar do Tesouro com dinheiro do contribuinte é mais fácil.

Fundo Eleitoral: contra
Merecem efusivos cumprimentos os 11 deputados federais de Santa Catarina que votaram contra a criação do fundo de financiamento de campanhas eleitorais, o indecente Fundão. Registre-se: Esperidião Amin, Carmem Zanotto, Celso Maldaner, João Paulo Kleinübing, João Rodrigues, Jorge Boeira, Jorginho Melo, Mauro Mariani, Rogério Mendonça, Ronaldo Benedet e Valdir Colatto. 

 Favoráveis Dos 16 deputados federais catarinenses na Câmara apenas dois votaram a favor do Fundo que vai tirar 30% das emendas de bancadas estaduais: Décio Lima e Pedro Uczai, ambos do Partido dos Trabalhadores. Aliás, todos os 53 deputados do PT deram votos favoráveis. No esbulho orçamentário uniram-se PT, PMDB e PCdoB, principalmente.       

Cartórios da Cidadania
O Estado de Santa Catarina ganhou 347 postos de emissão de Carteira de Identidade (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), Carteira do Trabalho e Passaporte. Com a vigência da Lei 13.484/2017, todos os Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais foram transformados em Ofícios da Cidadania. O presidente estadual da Anoreg, Miguel Ortale, destacou a importância da medida, que vai atender a população nos pequenos municípios e facilitar estes documentos a todos os cidadãos.        

Imortais
Academia de Letras Militares de Santa Catarina comemorou os cinco anos de fundação com solenidade na sede da Associação Barriga Verde, com a presença de presidentes e dirigentes de 14 academias de letras. Na ocasião, tomou posse na cadeira 31 o capital Ademar Casanova, e foi oficializado o nome do falecido coronel Zizimo Moreira como patrono da cadeira 34. Dois correspondentes no Rio Grande do Sul e no Paraná também foram empossados na ocasião.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

Deputada Ana Paula Lima presta homenagem ao reitor da UFSC na Alesc

Banco é condenado no caso Samuca, que causou prejuízo a centenas de pessoas em SC

Deputado Mauro Mariani volta a defender renúncia coletiva da cúpula nacional do PMDB

 Veja também
 
 Comente essa história