PSDB: crise lá, unidade aqui Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O senador Aécio Neves acaba de provocar mais uma grave crise política de consequências imprevisíveis dentro do PSDB.  Destituiu do cargo o presidente interino, senador Tasso Jereissati, alegando necessidade de isonomia dos candidatos à sua sucessão. Vai assumir o cargo o ex-governador de São Paulo Alberto Goldmann. Aécio Neves estava afastado desde maio, depois de gravações em que ele aparece pedindo R$ 2 milhões ao dono da JBS.

A decisão causa um novo racha dentro do PSDB nacional, já dividido sobre a posição de deixar ou continuar integrando o governo Temer. Os tucanos também não se entendem no Congresso Nacional. Tiveram o apoio dos senadores do PMDB na salvação do mandato de Aécio Neves, mas são considerados traidores pelos votos a favor da denúncia contra Michel Temer na Câmara.

A nova crise repercutiu em Santa Catarina. O presidente estadual, deputado Marcos Vieira, lamentou o ocorrido e lembrou que na última reunião das lideranças nacionais com o comando em Brasília sugeriu que as disputas internas são salutares, mas só devem acontecer quando já estiver traçada uma linha de convergência.

Ao contrário do diretório nacional, aqui em Santa Catarina os tucanos  promovem uma convenção estadual festiva neste sábado, em São José, para homologação do novo diretório, presidido por Marcos Vieira.

O PSDB vive neste momento uma situação inédita, com todas suas principais lideranças unidas em torno do projeto eleitoral de 2018. A festa deste fim de semana terá convenções setoriais e muitas iniciativas que objetivam o maior congraçamento dos líderes com a militância.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

Policiais são homenageados após salvarem criança que caiu do mirante da Serra do Rio do Rastro

José Nei Ascari: a escolha unânime ao Tribunal de Contas do Estado

Veículo leve sobre trilhos é um exemplo de transporte coletivo eficiente 

 Veja também
 
 Comente essa história