Governo contrata nova organização social para SAMU e estuda rescisão com SPDM Marco Favero/Agencia RBS

Foto: Marco Favero / Agencia RBS

A Secretaria da Saúde do Estado decidiu contratar a empresa OZZ, do Paraná, para prestar os serviços do SAMU em todos os 23 postos avançados existentes em Santa Catarina. O contrato mantido com a SPDM - Sociedade Paulista para o Desenvolvimento da Medicina - vai expirar no dia 19 de dezembro.

A OZZ já vem prestando os mesmos serviços assistenciais as unidades do SAMU no Estado do Paraná.  O contrato é emergencial por 180 dias.

Ao confirmar a informação, o secretário Vicente Caropreso esclareceu que o novo contrato é 600 mil inferior aquele existente hoje com a SPDM.  Com a economia que a Secretaria fará ele pretende adquirir 23 novas ambulâncias para atender o SAMU em todo o Estado.

Hospitais
A Secretaria da Saúde está disposta também a rescindir o contrato  com a SPDM para manutenção e gestão do Hospital Florianópolis e do Hospital Regional de Araranguá.

A empresa paulista realizou reunião dias atrás com autoridades da Secretaria da Saúde para tratar dos dois hospitais e de várias pendências. Nada anunciou.  No dia seguinte, comunicou que estava devolvendo os dois hospitais. 

O secretário Vicente Caropreso e seus auxiliares entenderam a decisão como retaliação contra o governo.  Pediu uma audiência na Justiça Estadual, presentes os diretores da SPDM, representantes da Secretaria e do Ministério Público Estadual.  O diretor Mário Monteiro anunciou que iria consultar o Conselho de Administração da Sociedade para uma posição, depois da notificação da Secretaria de Saúde de cancelamento do contrato e devolução pela SPDM em 120 dias.

Neste momento, dois processos são examinados pelos técnicos e o jurídico da Secretaria da Saúde para contratação de nova entidade que vai manter os Hospitais Florianópolis e Regional de Araranguá. 

O contrato com o Hospital de Araranguá terminará em maio d 2018 e o de Florianópolis somente em dezembro de 2018.

A proposta é de contrato emergencial, com dispensa de licitação por 6 meses e, se aprovado, contrato definitivo por 5 anos.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira 

Governador reage a emendas que ampliam gastos públicos

TJ condena Dário Berger a devolver dinheiro gasto em publicidade institucional









 Veja também
 
 Comente essa história