Estradas que envergonham SC Divulgação/Divulgação

Foto: Divulgação / Divulgação

Situado a 430 quilômetros de Florianópolis, às margens do rio do Peixe, próximo da confluência do rio Pelotas com o rio Uruguai, o município de Piratuba se orgulha de possuir as águas termais mais quentes do Brasil. São águas sulfurosas com propriedades terapêuticas.


Quando lá esteve, o ex-senador Pedro Simon deixou dois testemunhos. Proclamou que Piratuba tem uma mina de ouro. Não de dinheiro, mas de saúde. E se declarou indignado com o estado calamitoso da SC-135, estrada que liga Piratuba à Usina de Machadinho e que dá acesso a Marcelino Ramos (RS), onde se encontra o Santuário de Salette, um dos pioneiros no Brasil em romarias.


Na chegada à cidade, viajando de carro a partir de Porto Alegre, Simon passou pelo sofrimento dos mais de 400 mil turistas que visitam Piratuba, a maioria do Rio Grande do Sul. Enfrentou verdadeiras e profundas crateras na SC-390/SC-135 (Capinzal-Piratuba). É, seguramente, a pior rodovia estadual em termos de buraqueira, abandono e completa falta de manutenção.


Apelos dramáticos ao Deinfra e audiências com o governador Raimundo Colombo até agora não tiveram sucesso. Ao contrário, as duas estradas ficaram piores. O deputado Romildo Titon (PMDB) cansou de apelar ao governo. Promessas não faltaram. Até ação na Justiça contra o governo estadual já foi impetrada por pelo menos 3 mil lideranças. Faltou ação.


Unanimidade: Piratuba é uma bela estância termal, tranquila, paisagem única, arquitetura germânica, grande potencial turístico. Mas tem estradas estaduais que envergonham Santa Catarina.



Leia as últimas notícias

DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história