Um dos maiores especialistas mundiais em geóglifos, o paleontólogo Alceu Ranzi (UFSC) está comemorando. As justificativas apresentadas à Unesco para inserir os desenhos produzidos no chão do Acre, alguns com 100 metros de diâmetro e datados de 1.250 d.C., na lista de Patrimônio da Humanidade representam, depois de 38 anos de pesquisas, o reconhecimento dessas estruturas como uma das maiores descobertas da ciência. O trabalho do professor Alceu já foi tema de reportagem da Science, BBC, Fantástico e deu até no New York Times.


Leia as últimas notícias do Diário Catarinense
 Veja também
 
 Comente essa história