Plantando saúde: a importância do autocuidado feminino DIVULGAÇÃO/SENAR/

Foto: DIVULGAÇÃO/SENAR

Historicamente as mulheres cuidam mais da saúde do que os homens, mas isto não significa, porém, que todas as pessoas do sexo feminino dedicam a devida atenção às necessidades de seu corpo. Muitas vezes é necessário um incentivo para que elas se conscientizem de que é muito importante se cuidarem bem – até para, depois, com a saúde em dia, poderem cuidar do companheiro, dos filhos e, muitas vezes, dos pais idosos. Neste sentido, aplaudo a iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc), que lançou neste mês o programa “Plantando Saúde”, de prevenção às doenças crônicas, destinado às mulheres que trabalham na área rural dos municípios catarinenses.

Acompanhe as colunas de Viviane Bevilacqua

O objetivo é incentivar nas mulheres sobre o reconhecimento da importância do autocuidado, valorizando a identidade e a responsabilidade pessoal com a saúde. A turma-piloto ocorreu no CTG Seara e Pampa, no município de Seara, com a participação de 20 mulheres de Arabutã, Arvoredo, Seara e Xavantina. “A gente tem sempre tanta coisa pra fazer, trabalho, filhos, marido, casa para arrumar, que acaba não sobrando um tempinho para cuidar de nós mesmas”, comentou uma das participantes. E é exatamente mudar esta forma de ver as coisas e priorizar a saúde da mulher o objetivo do “Plantando Saúde”.

Nos encontros, os profissionais da saúde enfatizam a importância do autocuidado, a identificação de comportamentos que promovem e que previnem doenças, as principais enfermidades crônicas (doenças cardiovasculares, câncer, respiratórias e diabetes), as causas, consequências e planejamento de ações pessoais de cuidados preventivos A ideia é que as participantes multipliquem as informações em casa e também nas suas comunidades. O “Plantando Saúde” deverá ser estendido para todo o Estado no próximo ano.

A instrutora Daniela Lermen, que também é farmacêutica, falou às mulheres do meio rural sobre a necessidade de cuidarem bem, do amor próprio, da autoestima e compromisso com a saúde pessoal, para que elas possam, posteriormente viver plenamente todos os papeis de mãe, esposa e profissional. “Alimentação saudável, atividades físicas, pensamentos positivos e saúde emocional são atitudes que contribuem para previr doenças. O mesmo tempo utilizado para adoecer pode ser gasto na prevenção. Esta é uma questão de escolha individual e de responsabilidade”, concluiu.

Leia as últimas notícias do Diário Catarinense

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história