Turistas vivem experiência da pesca da Tainha em Floripa Gustavo Kuerten/Agência RBS/

Foto: Gustavo Kuerten/Agência RBS

Fim de semana passado fomos visitar amigos na Praia da Barra de Ibiraquera, em Imbituba, no Sul do Estado. Local lindo, que não conhecíamos, onde a lagoa e o mar se encontram. De repente, gritaria e foguetes: os pescadores estavam tirando das redes lindas e graúdas tainhas. Muitas delas. Que festa! Em minutos, a comunidade toda sabia da fartura e correu para a beira da praia para ver o lanço e, também, quem sabe, levar uma tainha para o almoço. Naquele sábado, véspera do Dia das Mães, as mulheres foram presentadas com um peixe cada uma, e voltaram para casa com o almoço de domingo garantido.

Enquanto assistia os pescadores fazendo a divisão dos peixes e recolhendo as redes (foram cerca de 2,5 mil tainhas naquele início de tarde), pensava em como os turistas, especialmente aqueles que não moram perto do mar, iriam gostar apreciar aquele cenário e ver o resultado de uma pescaria, especialmente nesta época do ano. quando grandes cardumes de tainhas costumam das as caras por aqui. Quantas fotos lindas a pesca renderia para os visitantes, e que histórias interessantes teriam para contar quando voltassem para casa! 

Feliz surpresa a minha quando recebi por e-mail um recado de uma amiga. A coincidência: ela contava que com o início da temporada da pesca da tainha, a agência de viagens Floripa Xperience, especializada em atrativos da Grande Florianópolis (grande ideia!) e filiada ao Floripa e Região Convention & Visitors Bureau, está iniciando um passeio que reúne turismo, costumes locais e gastronomia, tudo ao mesmo tempo. Consiste em levar os turistas, de manhã bem cedinho, até uma praia, para que eles vejam os pescadores artesanais em ação, puxando as redes ou, então, se a pesca foi de madrugada, repartindo as tainhas trazidas do mar poucas horas antes. Geralmente a praia escolhida para a experiência é a da Barra da Lagoa, reduto de pescadores tradicionais da Ilha.

Lá, entre goles de café e cachaça, os turistas ouvem histórias _ que pescador não tem uma boa história para contar? _ e, dependendo do dia, podem inclusive ajuda a puxar as redes, garantia de excelentes fotos e vídeos. Depois, já com as tainhas do almoço devidamente escolhidas pelos guias, os turistas seguem de barco até um restaurante da Costa da Lagoa, outro local incrível e cheio de histórias, onde a iguaria é preparada na frente dos convidados, que podem aprender a limpar, escalar e preparar os peixes na brasa. Enquanto aproveitam para explorar a região, o almoço fica pronto. À tarde, o barquinho volta para a Barra e os visitantes são levados aos hotéis, com mais uma bela experiência em seus currículos. São momentos como esses, de imersão nas comunidades locais, que fazem toda a diferença e enriquecem a vida dos turistas que não se contentam apenas em conhecer (e fazer selfies) nos cartões-postais das cidades.


Turistas aprendem a tirar escamas, limpar e preparar as tainhas Foto: Divulgação/Floripa Convention


 Veja também
 
 Comente essa história