Jovens gravam vídeo escalando a ponte Hercílio Luz e vigilância da obra é reforçada reprodução/Reprodução

Foto: reprodução / Reprodução

Um vídeo gravado por quatro jovens escalando a ponte Hercílio Luz clandestinamente está dando o que falar nas redes sociais. O material foi postado em novembro do ano passado e já tem mais de 10 mil visualizações. Sem usar nenhum equipamento de segurança ou qualquer autorização, eles foram ao extremo de uma das gruas instaladas no alto das torres, apenas confiando na força das pernas e braços. A Polícia Civil abriu investigação para tentar localizar o quarteto, que ainda sugere para ninguém fazer isso, mas até agora ninguém foi identificado.

Depois do episódio, foi determinado um reforço na vigilância das obras, principalmente aos fins de semana e feriados. Agora são três guaritas (uma em cada extremo e uma no meio da ponte), além de rondas permanentes. Até mesmo arame farpado foi instalado nas vias de acesso para impedir outra trupe de tentar repetir o feito que, além de perigoso, é crime.

Garagem penhorada

A 5ª Vara da Justiça do Trabalho determinou o arresto (penhora) de parte das vagas de garagens do Hospital da Unimed, em São José, como forma de garantir o pagamento das dívidas trabalhistas de 10 ex-funcionários da área de marketing e vendas desligados entre o final de 2016 e março deste ano. Com a decisão, a eventual negociação da venda do hospital somente poderá ser realizada após a quitação deste débito, estimado em cerca de R$ 3,5 milhões.

Traços do futuro
Crianças da comunidade Frei Damião, uma das mais carentes em Palhoça, participaram de oficina de customização de camisetas durante o fim de semana. A produção das peças, que teve orientação dos alunos de Design de Moda da Estácio, serão leiloadas no site do Projeto Cidades Invisíveis, conhecido mundo afora, e o dinheiro arrecadado será revertido às famílias.

Plano Diretor tem novo adiamento
O juiz Marcelo Krás Borges, da Justiça Federal de Florianópolis, determinou ontem a suspensão da audiência pública final do Plano Diretor prevista para o próximo dia 23, e fixou mais 60 dias para a finalização do processo. O magistrado acatou pedido da promotora do Ministério Público Federal Analucia Hartmann, que entende que a prefeitura de Florianópolis mais uma vez não respeitou os prazos e a publicidade determinados pela última decisão do TRF4, além de ter alterado diretrizes do PD (como zoneamentos de AVLs e ACIs) após as audiências e sem consulta ao Núcleo Gestor.

Aliás
Quem mais uma vez questionou os encaminhamentos da prefeitura junto ao MPF foi um grupo de integrantes do Núcleo Gestor que contou com assessoria técnica do vereador Lino Peres (PT). A Justiça pretende realizar nova audiência de conciliação entre as partes antes da audiência pública. Esse impasse entre os interesses dos integrantes do núcleo e a consequente judicialização do Plano Diretor tem sido o principal entrave para que o projeto chegue à Câmara.

Acompanhe as últimas publicações de Rafael Martini 

Apae de Florianópolis consegue acordo financeiro para garantir transporte de alunos 

Orçamento regionalizado é a bola da vez na Assembleia

"Os municípios serão os protagonistas desse próximo ciclo de concessões", diz especialista


 Veja também
 
 Comente essa história