Apenas 20% das pessoas têm a chance de usar suas principais habilidades no trabalho  Daniel Marenco / Agencia RBS/

Foto: Daniel Marenco / Agencia RBS


O Instituto Gallup realizou uma pesquisa com mais de 2 milhões de pessoas e entre as perguntas realizadas aos entrevistados, estava a seguinte questão: Você tem a oportunidade de fazer todos os dias o que você faz de melhor? Ou seja, tem a oportunidade de utilizar seus pontos fortes todos os dias, no seu trabalho? Apenas 20% das pessoas entrevistadas disseram ter esta  possibilidade. Isso significa que provavelmente 80% das pessoas não entregam como resultado toda a sua capacidade produtiva, pois elas não têm a chance de trabalhar diariamente usando o que chamamos popularmente de dons naturais.

Acompanhe as colunas de Viviane Bevilacqua

Conheço várias pessoas infelizes com o emprego que têm e com a profissão que seguiram, muitas vezes por não terem tido a sorte de estarem subordinados a gestores que soubessem explorar e valorizar o que elas sabiam fazer de melhor. Muita gente se sente mal aproveitada e sabe que poderia contribuir muito mais com a empresa se o seu gestor lhe desse uma oportunidade de atuar em outra área, para a qual sinta que tenha mais aptidão. Infelizmente, isso acontece com muita frequência.

No livro Descubra seus Pontos Fortes,  os autores Buckinghan e Clifton apontam o que consideram ser os dois grandes equívocos das empresas e das lideranças: a primeira, é achar que o maior potencial de crescimento das pessoas está nos seus pontos fracos ou dificuldades. A segunda, é acreditar que as pessoas podem ser competentes em quase tudo. Por este motivo, tais empresas focam as ações de desenvolvimento da sua equipe apenas para trabalhar as dificuldades, pontos fracos ou pontos de melhoria, e raramente investem em suas potencialidades.

Poliana Landin, mestre em Psicologia com ênfase em avaliação psicológica, explica que quando o líder investe na potencialização das forças e talentos natos de seus colaboradores, eles podem alcançar resultados extraordinários. Ela defende que para aumentar a produtividade e melhorar o resultado das empresas é muito mais interessante investir tempo e energia nos talentos que o colaborador já têm, do que tentar reverter seus pontos fracos. Assim, todos ficam satisfeitos. A empresa, por melhorar sua performance, e o colaborador, porque vai trabalhar com todos os recursos psicológicos e emocionais a seu favor. 

Leia as últimas notícias do Diário Catarinense


 Veja também
 
 Comente essa história