Mudança de estação: boa hora para praticar o desapego Reprodução / Divulgação/Divulgação

Foto: Reprodução / Divulgação / Divulgação

Pelo jeito, o inverno foi embora de vez. Aliás, tirando alguns dias de julho, parece que o frio nem chegou este ano. Os dias já estão mais longos e ensolarados, e está chegando a hora então de novamente fazer mudanças no armário: tirar as roupas quentes (muitas não chegaram sequer a ser usadas) e pendurar as de verão. Há dias venho pensando que tenho que fazer isso e vou postergando, sempre na esperança (adoro frio) de que o inverno resolva dar as caras por aqui, mesmo que atrasado. Mas não vai rolar, sei disso. Então, mãos à obra.

Acompanhe as colunas de Viviane Bevilacqua

Sento em frente ao armário, escancaro as portas e penso: Pra que eu preciso de tanta roupa? E olha que eu não sou uma pessoa consumista que vive em loja, sou até bem controlada se comparado à maioria das mulheres que conheço. De qualquer forma, tenho roupa demais. E esta troca de estação é uma ótima oportunidade de praticar o desapego, mas desta vez de verdade. Deixar em casa somente aquilo que realmente uso e preciso.

Acordo decidida a fazer isso no domingo, e enquanto tomo café, leio um artigo muito interessante da Vandressa Pretto, diretora da escola francesa de consultoria de imagem Ecole Superieure de Relooking. Ela fala justamente sobre este tema: Desapego. A maioria das pessoas usa apenas a metade das roupas que possui, diz ela. O resto, só ocupa lugar. O que não nos damos conta é que aquilo que é supérfluo para alguns pode ser de primeira necessidade para outros.  Não quer doar? Tudo bem, é uma decisão pessoal. Mas dá para trocar, vender, emprestar. Enfim, adotar um consumo mais consciente.  

Segundo Vandressa, esta proposta de incorporar um estilo de vida mais equilibrado, atenuando o consumismo exagerado, está se tornando cada vez mais comum. São muitos os exemplos de pessoas dispostas a fazer novas experiências, como a de ficar um ano sem comprar nenhuma peça de roupa, ou maneirar nas compras no supermercado para evitar desperdício, ou usar sempre produtos que tenham refis, para economizar e ainda ajudar a produzir menos lixo, e assim por diante. Ok Vandressa, estou decidida a entrar nesta onda também. O meu armário vai ser apenas o começo. O desapego por aqui nos próximos dias será grande e, com certeza, além de ajudar outras pessoas, vou deixar a minha vida mais leve. 

Leia as últimas notícias do Diário Catarinense


 Veja também
 
 Comente essa história