Os prós e contras de dar mesada aos filhos  /

 Dar ou não mesada às crianças e adolescentes é uma decisão que só cabe à família. Os especialistas também não são unânimes em relação a este assunto. Enquanto alguns acreditam que recebendo mesada os filhos aprenderão a economizar e dar valor ao dinheiro, outros defendem que a mesada condiciona os filhos à sensação de segurança, e isso é falso nos dias atuais. Quando eu e meus irmãos éramos crianças, recebíamos uma semanada de meu pai, que era suficiente para a matinê de domingo e um pouco mais. E tínhamos que maneirar no domingo para sobrar um troco para a semana inteira. Acho que aprendemos o significado de poupar desde aquela época (meu irmão mais velho muito mais do que eu), assim como sempre soubemos que dinheiro não dava em árvore e que nossos pais tinham que trabalhar muito para ganhá-lo. Ensinamentos fundamentais que também passamos para os nossos filhos.

A psicopedagoga María José Roldán diz que a instituição de uma mesada ou semanada (desde, claro, que os pais tenham condições financeiras de fazer isso) tem prós e contras. Ela acredita que recebendo uma quantia x por mês as crianças aprendem a economizar dinheiro e a dar valor ao que custa consegui-lo, guardando para futuras aquisições. É uma forma, também, de fazer as crianças e adolescentes usarem a lógica e a razão para poderem pensar quanto dinheiro será necessário para adquirir as coisas que querem. Por outro lado, a principal desvantagem de dar mesada, diz Maria José, é ensinar os filhos que eles podem conseguir dinheiro fácil. Ela também não acha certo atrelar a mesada à ajuda em casa ou às boas notas na escola, porque as crianças precisam ver estas tarefas como responsabilidades que elas devem cumprir, e não como uma troca de um favor por dinheiro. ''Temos que ter o cuidado com nossas ações, também, porque nossos filhos podem tornarem-se cobiçosos, para ganharem cada vez mais e mais dinheiro'' alerta ela.

O especialista em empreendedorismo e educação financeira João Kepler,  afirma nunca ter dado mesada para nenhum de seus três filhos. ''Devemos acostumar nossos filhos à necessidade de trabalhar e não a esperar um salário fixo no final do mês. Mesmo porque não haverá empregos formais para todos da nova geração, daí a importância de ensiná-los a encontrarem alternativas e seus próprios meios de ganharem dinheiro'', diz. Para ele, é fundamental que desde cedo os filhos sejam treinados para terem uma postura empreendedora diante da vida. Há pouco tempo, ele lançou o livro Educando filhos para empreender, que tem feito muito sucesso. Para Kepler, tudo é uma questão de escolha e, em num primeiro momento, escolha dos pais. ''Precisamos estimular os filhos a seguir a jornada empreendedora. Se dentro de casa já existir essa consciência e prática, com certeza tudo será mais fácil, pois será um processo natural pensar e agir fora dos padrões tradicionais de educação'', finaliza.

   

 Veja também
 
 Comente essa história