Por Sandro Paim
sandro.paim@diariocatarinense.com.br

A democrática pista do 1007 Floripa, um dos lugares preferidos dos baladeiros que frequentam o Centro, já foi cenário de muita alegria e festa, mas também de cenas de briga e assédio. Com a ideia de combater a violência por lá, a casa lançou a Respeito no Rolê, ação que acaba de ser replicada para as festas universitárias da Ilha realizadas pela Agência PHE.

Imóvel que abrigou o El Divino deve dar espaço para restaurante especializado em parrilla argentina a partir de agosto

Foto: Ferrari Franzoni / Divulgação

A PHE, que costuma reunir milhares de jovens nas suas festas, dá o start na ação Agir para Transformar, uma espécie de extensão do Respeito no Rolê, nesse sábado, na festa Apocalipse, em Jurerê Internacional. A partir deste evento, haverá um QG onde qualquer pessoa que sofrer abuso, assédio, violência ou desrespeito, poderá se encaminhar durante a festa. 

Figura da noite paulistana em Floripa para a festa Gender, DJ Johnny Luxo entrega sete músicas que incendeiam a pista

— Achamos ótimo que outros lugares tomem atitudes semelhantes, nosso objetivo é que em qualquer lugar as minorias sejam tratadas com respeito, sem violência, principalmente nos locais que frequentamos em busca de diversão — compartilhou com a coluna Amanda Angheben, hostess do 1007 e coordenadora do Respeito no Rolê. Boa iniciativa!

Foto: Reprodução
 Veja também
 
 Comente essa história