Armada com seu topete irreverente e dona de um currículo matador que inclui escrever sobre moda nos jornais The New York Times e Herald Tribune, a hoje editora internacional da Vogue Suzy Menkes foi a figura mais celebrada da 42ª edição do São Paulo Fashion Week, encerrado na sexta-feira. Em painel na última quarta acompanhado pela coluna, onde foi entrevistada por Carlos Jereissati Filho, presidente do Grupo Iguatemi, na celebração dos 50 anos do shopping paulistano, Suzy deu um show de simplicidade, perspicácia e bom-humor. Com tiradas inspiradas e sempre disponível para selfies e papos rápidos com fãs, a jornalista provou porque, aos 72 anos, ainda, e cada vez mais, é uma das figuras mais respeitadas do mundo da moda. 

Jornalismo de moda
Uma das coisas que mais me perguntam é o que faz um jornalista de moda ser bom. Para mim não é nada diferente do que faz um jornalista ser bom: olhos abertos, interesse, curiosidade e capacidade de contar uma história. Alguns blogs são muito bons, mas para muitos outros eu gostaria de ensinar que precisamos sempre nos perguntar: o que você está tentando dizer ao leitor? Tem que contar uma história: quem, quando, porque, onde. E tem outra questão: fotos não substituem ver a moda ao vivo, olhar a roupa, assistir a um show. Tem coisas muito sutis que fazem a diferença vistas num desfile.

Eterna curiosidade
Trabalhando para a Condé Nast online tenho acesso aos 20 países onde a Vogue está. É muito interessante ver como cada revista tem o espírito da Vogue em si e o espírito próprio. Sou fascinada por todas as culturas. Não poderia vir ao Brasil e apenas escolher isso ou aquilo sem antes entender a cultura. 

História do topete
Fui uma das primeiras pessoas a usar o computador. Era uma máquina muito grande e complicada. Eu não conseguia usar aquilo com o meu cabelo caindo no rosto. Então inventei um penteado que eu mesma posso fazer. Leva menos de um minuto. Meu falecido marido não gostava (risos). Mas acho importante ter alguma marca da sua personalidade. Como a Anna Wintour com seus óculos. É uma maneira de se expressar.

Moda brasileira
Acho muito interessante. Existia uma ideia de que aqui só tinha moda praia, mas isso mudou. Adoro o colorido do país e gosto de ver isso refletido na moda. Também fiquei muito impressionada com o que vi sendo feito no couro. Tive que tocar para acreditar que era couro mesmo (um dia antes Suzy havia assistido ao desfile da grife Patricia Viera, especialista no material).

Work, work, work
Pediram ao Karl Lagerfeld (estilista da Chanel) que ele citasse três segredos para ter sucesso no mundo da moda. Ele respondeu: trabalho, trabalho, trabalho. Penso igual. Pessoas bem-sucedidas trabalham muito. Mas é preciso amar o que se faz e estar aberto e curioso para aprender todos os dias. Vivo fazendo perguntas.

Mundo digital
Para mim foi tão fácil entrar no mundo digital. Pessoas me perguntam: mas você não sente falta do papel, de ver seu nome impresso? Na verdade não. Palavras são palavras onde quer que estejam. Eu sou uma blogueira. Acho incrível como as blogueiras mexeram com a indústria. Mas como tudo no mundo, tem um lado ruim. Algumas coisas que você lê são ruins, outras são brilhantes. 

Luxo
A próxima conferência (Suzy realiza uma das maiores conferência de luxo do mundo) será em Oman, um país muito interessante, que olha para a Índia e os Países Árabes. Vamos falar sobre Midnful Luxury, algo como a luxuosidade da mente. Quero pensar sobre luxo. Será que luxo são as Kardashians? Como definimos luxo na moda? Acho que é um bom momento para pensar o que estamos comprando e vendendo. Uma bicicleta com design para levar o filho num banquinho traseiro hoje é um artigo de luxo. O mundo mudou.

No topo
Não acho que estou no topo. Sou capricorniana, adoro ter montanhas para escalar. Todo artigo é um desafio.

Ícones fashion
Eu vivi dinastia de Yves Saint Laurent, fazendo roupas glamourosas que as mulheres podiam usar dia e noite. Mas também presto muito atenção nos novos movimentos. Eu sou muito interessada nos novos nomes. Cubro moda há 25 anos e sempre tem alguém começando. Isso é maravilhoso.

A moda e o Instagram
O Instagram nos faz parecer gloriosos, aparentamos como se sempre estivéssemos arrumados para uma festa. As marcas entram nessa e acho que o público pensa: isso é para as celebridades e não para mim. É preciso ser mais realista para vender mais.

A colunista viajou a convite do Iguatemi Florianópolis.

Suzy Menkes Foto: Elena Olay/Vogue Spain / Divulgação

Leia também:
Acústico Brognoli, marcado para 10 de novembro em Floripa,  terá renda revertida para a AVOS
#Partiu: programas democráticos para aproveitar o fim de semana na Capital
Referências mundiais, barbeiros da holandesa Schorem incluem Floripa em tour brasileiro 


 Veja também
 
 Comente essa história