Projeto pretende incentivar todos catarinenses a concluir o ensino básico  Tadeu Vilani/Agencia RBS

Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Os catarinenses precisam encarar de frente as necessidades do mundo digital. Isto significa que quem não concluiu os 11 ou 12 anos de estudos do ensino básico, que inclui o ensino fundamental e o ensino médio, ou como eu entendo melhor - o 1º e o 2º grau - é preciso voltar para as salas de aula. Numa iniciativa inédita no Brasil, Santa Catarina está iniciando uma cruzada com esse objetivo para que todos tenham o ensino básico completo até 2024, ou seja, daqui a seis anos. O projeto é das quatro federações empresariais do Estado que integram o Movimento Santa Catarina pela Educação, Fiesc (indústria), Fecomércio, Faesc (agricultura) e Fetrancesc (transportes) - mais o governo do Estado e as prefeituras municipais. O lançamento será nesta quinta, no Complexo Esportivo do Sesi, em Blumenau, durante o seminário Educação de Jovens e Adultos de Santa Catarina: construindo um ecossistema para uma atuação em rede. Haverá no evento a palestra do coordenador da cátedra da Unesco em Educação de Jovens e Adultos (EJA), o especialista Timothy Ireland. 

O objetivo é motivar todos que não concluíram essa fase de educação voltar para as salas de aula paralelamente ao trabalho. Haverá um esforço conjunto com a secretaria de Educação do Estado e secretarias de educação dos municípios para elevar a oferta de vagas. O site do movimento SC pela Educação, o www.scpelaeducacao.com.br terá a plataforma de geolocalização indicando onde há vagas para as pessoas se matricularem. Além disso, haverá uma campanha estadual para sensibilizar as pessoas a participarem.

Trabalhadores com mais estudos ajudam a economia a ser mais competitiva no mundo, a pagar salários melhores no Estado. Por isso a meta de qualificação até 2024.  

- Para alcançar esta meta, estamos lançando esta campanha que lembra que o estudo é o nosso melhor amigo para alcançar tudo aquilo que desejamos na vida - afirma o presidente da FIESC, Glauco José Côrte

33% não concluíram

Dados levantados pelo movimento na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 2015 apontaram que somente esses quatro setores das federações envolvidas empregam diretamente 2,2 milhões de catarinenses e, desse grupo, quase 725 mil, isto é, 33%, ainda não concluíram o ensino básico (1º e 2º grau). 

Exemplos

Com mais estudo, as pessoas não só conseguem maior renda, como melhoram sua qualidade de vida. Entre os países que se tornaram desenvolvidos ao exigir 11 a 12 anos de ensino para todos estão os EUA e todos da Europa

Acompanhe as publicações de Estela Benetti
 DC Recomenda
 
 Comente essa história