Novo modelo de educação profissionalizante tem início em sete escolas do Estado Diorgenes Pandini/Agencia RBS

Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

A partir desta terça-feira, dia 1º, tem início um novo modelo de educação profissionalizante em Santa Catarina. Em sete pólos de educação, seis escolas públicas e uma privada, 915 alunos matriculados na rede estadual de ensino farão parte de uma das primeiras turmas do MedioTec no Brasil. O programa é uma ação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Ministério da Educação (MEC), que visa aprimorar a oferta de cursos técnicos concomitantes ao ensino médio.

Os estudantes selecionados no processo de inscrição, que aconteceu ao longo de julho, têm entre 15 e 19 anos e estão na metade do 2º ano. As formações focadas em diferentes áreas ocorrerão no contraturno escolar. Os cursos têm duração de um ano e meio e, portanto, a ideia é que os participantes saiam do ensino médio com dois diplomas: do ensino regular e técnico. Técnico em hospedagem, eletroeletrônica, artes circenses, dança, logística, manutenção e suporte em informática, administração e recursos humanos são as opções oferecidas em Santa Catarina. 

Inicialmente, o MEC divulgou uma relação com a possibilidade de oferecer até 1.225 vagas para o Estado, sendo 1.175 em instituições públicas e 50 em particulares. Na rede estadual de ensino, porém, apenas 415 vagas em nove escolas foram disponibilizadas por meio da parceria com o ministério. O novo modelo será oferecido nos Centros de Educação Profissional (Cedup) de Chapecó, Joinville, Florianópolis, Lages, Mafra, Timbó e Criciúma, além das escolas Professor Custodio de Campos, em Xanxerê, e do Instituto Estadual de Educação, em Florianópolis. O secretário estadual de educação, Eduardo Deschamps, que define o MedioTec como uma espécie de Pronatec focada nas escolas estaduais, explica o contexto: 

— A gente dependia muito da proximidade dos Cedups pelo número de bolsas que a gente tem. O critério de escolha das escolas foi basicamente esse, onde tinha o ensino técnico e onde tinha o estudante que tivesse a possibilidade de acessar essas vagas técnicas. 

Mais 450 vagas estão sendo oferecidas pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), onde as aulas começam na modalidade Ensino a Distância (EaD) em 14 de agosto, além de outras 50 oportunidades presenciais pelo Colégio Satc, em Criciúma. A oferta dos cursos teve como base tanto um mapeamento de empregabilidade a longo prazo quanto o de demandas regionais, segundo argumenta a secretária de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Eline Neves Braga Nascimento. 

— Existem muitas áreas com demandas e sem profissional formado. A família é fundamental. Muitas vezes o jovem não despertou ainda para o mercado e a família pode mostrar as oportunidades e caminhos possíveis.

Especialistas acreditam que modelo reduzirá a evasão escolar 

A estudante Irraela Ribeiro, 16, é uma das alunas que vai começar o MedioTec em Santa Catarina nesta terça. Apaixonada por dança desde criança e praticante assídua de aulas há dois anos, a jovem optou pelo curso técnico focado nesse tipo de expressão corporal. Animada para o início das atividades, ela conta que não pretende parar por aí. 

— Faço jazz há dois anos, então fiquei interessada por já praticar e ser algo que eu gosto muito. A minha ideia é ter uma formação, mesmo que pequena, nessa área. Quero continuar depois do ensino médio, mas também pretendo seguir profissionalmente outra área. Ainda estou em dúvida entre medicina e direito — conta. 

É exatamente nesse sentido de orientação profissional que a pesquisadora da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Maike Ricci, acredita no programa do governo federal. Para a especialista em educação média e técnica, os cursos poderão, ao mesmo tempo, diminuir a evasão escolar — de 10% nessa etapa em SC, conforme os dados mais recentes do Censo Escolar — e tornar mais assertiva a escolha pela carreira. 

_ É uma possibilidade que já se tinha com o Pronatec, mas agora focada no ensino médio é mais viável manter o jovem na escola, fazer com que ele escolha com mais facilidade qual carreira seguir e com que tenha uma noção do mercado de trabalho. É importante que ele também tenha a consciência de seguir: fazer uma faculdade ou buscar outra área _ detalha.

 AUXÍLIO-ESTUDANTIL PARA DESPESAS

 Mesma preocupação tem a coordenadora do Fórum Estadual de Educação e vice-reitora de graduação da Universidade do Vale do Itajaí, Cássia Ferri. A professora acredita que, devido ao incentivo financeiro oferecido pelo MedioTec, será possível aumentar a taxa de conclusão dessa etapa de ensino. 

— A maioria desses estudantes precisa trabalhar para ajudar em casa. Então, a educação profissional é uma alternativa. A conclusão da educação básica e a possibilidade de juntar a formação técnica pode dar melhores condições de sobrevivência — avalia. 

No caso em que as instituições ofertantes de formação técnica estejam localizadas em endereço diferente da escola onde o aluno cursa o ensino médio, também será oferecido um auxílio-estudantil para custear despesas de transporte e alimentação. O valor mínimo da bolsa-formação estabelecido pelo MEC em edital é de R$ 2,00 por hora frequentada para cada estudante.  

Cursos técnicos por cidade e unidade escolar

Rede estadual (Cedups e escolas estaduais):

Chapecó — Centro de Educação Profissional de Chapecó — Técnico em Hospedagem — 50 vagas
Joinville — Centro de Educação Profissional Dário Geraldo Salles — Técnico em Eletroeletrônica, Técnico em Eletromecânica, Técnico em Qualidade — 90 vagas
Florianópolis — Centro de Educação Profissional Dr. Jorge Lacerda — Hospedagem — 50 vagas
Florianópolis — Instituto Estadual de Educação — Técnico em Artes Circenses — 25 vagas
Florianópolis — Instituto Estadual de Educação — Técnico em Dança — 25 vagas
Lages — Centro de Educação Profissional Renato Ramos da Silva — Curso de Administração — 25 vagas
Xaxim — EEB Prof. Custódio de Campos — Técnico em Administração e Técnico em Logística — 50 vagas
Mafra — Centro de Educação Profissional de Mafra — Técnico em Administração e Técnico em Logística — 50 vagas
Timbó — Centro de Educação Profissional de Timbó — Técnico em Administração — 25 vagas
Criciúma — Centro de Educação Profissional Abílio Paulo — Técnico em Manutenção e Suporte em Informática — 25 vagas

Rede federal (IFSC):

Calmon — Técnico em Administração — 50 vagas
Timbó Grande — Técnico em Administração, Técnico em Recursos Humanos — 100 vagas
São Lourenço do Oeste — Técnico em Administração — 50 vagas
Campo Erê — Técnico em Administração — 50 vagas
Florianópolis — Técnico em Administração — 50 vagas
Xanxerê — Técnico em Administração — 50 vagas
Caçador — Técnico em Logística, Técnico em Informática — 100 vagas

Rede privada

Criciúma — Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina (Colégio Satc) — Técnico em Informática — 50 vagas

 O programa

O MedioTec é uma nova ação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) para aprimoramento da oferta de cursos técnicos concomitantes ao ensino médio. É voltada aos alunos regularmente matriculados nas redes públicas de educação. Segundo o Ministério da Educação, a intenção é garantir que o estudante do ensino médio, após concluir essa etapa de ensino, esteja apto a se inserir no mercado do trabalho e renda. As vagas e cursos são definidos a partir do mapeamento das demandas regionais, inclusive considerando as necessidades futuras.

Leia também:
Campanha pretende aumentar escolarização dos trabalhadores catarinenses

Prouni abre inscrições para 77 mil bolsas remanescentes

Aulas do segundo semestre na rede estadual de ensino começam nesta segunda-feira

 DC Recomenda
 
 Comente essa história