Quatro anos depois de largar a carreira de professor, WMarcão traz uma indicação ao Emmy no currículo Alvarélio Kurossu/Agencia RBS

WMarcão fez sua estreia com o espetáculo Um Gordo NUiCRU

Foto: Alvarélio Kurossu / Agencia RBS

Aos 40 anos WMarcão tirou da gaveta um sonho. Numa tarde do ano de 2009 ele ouviu no rádio a entrevista de uma professora de teatro e aí veio o insight, aquele instante mágico em que se passa a limpo frustrações e expectativas de toda a vida. "Acho que é isso", disse ele. Um ano depois o então professor de Matemática, com carreira consolidada em 18 anos de sala de aula, estreava na Capital seu primeiro solo, o stand-up comedy Um gordo NUiCRU. Era ele, um banquinho e uma garrafa d'água apenas, e uma hora e 20 minutos de texto cômico para compartilhar.

Hoje, aos 43 anos, WMarcão é um ator atuante na cena teatral de Florianópolis e do Rio de Janeiro, com cinco peças no currículo, stand-ups, atuação em curtas e longas-metragens e a participação na série Como Aproveitar o Fim do Mundo, da Rede Globo, indicada ao Emmy Internacional na categoria Melhor Comédia no mês passado.

A história do ator com o público é um tanto mirabolante e começa em 1991, quando ele ingressa na faculdade de arquitetura. Em virtude de uma greve, WMarcão aceita o trabalho de inspetor de alunos. Como entendia muito de desenho geométrico, passou a ajudar e dar aulas particulares para estudantes do ensino médio que tinham dificuldade na matéria. Pouco tempo depois foi convidado para ser professor titular, mesmo sem nunca ter dado aula antes.

- O coordenador da escola me ensinou algumas técnicas, como olhar no olho e jamais pegar a apostila - conta.

Se esse foi o primeiro ensinamento para estar bem diante do público ou se a veia cômica e de ator já despontava não se sabe, fato é que WMarcão entrou de cabeça na matemática, estudou e no começo dos anos 2000 dava aulas em sete cidades do litoral norte catarinense, até 2010.

O lado engraçado da vida

WMarcão nasceu em Itajaí. Aos quatro anos mudou-se com a família para o Rio de Janeiro, onde morou até os 13 anos, e depois veio para Florianópolis. A letra "w" à frente de seu nome artístico vem do sobrenome alemão impronunciável. O aumentativo de Marcos se explica pelos 140 quilos distribuídos em 1,87m de altura. Seu biotipo, aliás, o de gordinho com bochechas rosadas, feliz e engraçado, é um dos assuntos que mais aborda em seus shows de stand-up.

- De qualquer coisa que falo não posso ser taxativo, mas tento mostrar o lado engraçado das coisas. É uma questão de leveza e tato - diz ele.

Dos seus trabalhos recentes vale destacar a comédia D.R. - Discussão de Relação, em que ele e a atriz Milena Moraes fazem graça das delícias e agruras da vida a dois, e As Felicianas, espetáculo cômico com os atores Igor Lima, Malcom Bauer e Renato Turnes inspirado nas polêmicas vindas da Comissão dos Direitos Humanos do Brasil.

WMarcão também tem agenda no eixo Rio-São Paulo, com a peça Um ovo para dois, criada por ele e Alexandre Vollu, e participação em espetáculos consagrados de stand-up, o Senta pra Rir, com Diogo Portugal, e Comédia em Pé.

- Quando a gente se aproxima dos 40 anos, vem a reflexão e questionamentos sobre nossa vida, se estamos satisfeitos com o que fizemos - afirma.

Marcão encontrou a satisfação. Pelo menos até agora, já que ele não escondeu o desejo de viver até os cem anos, no mínimo.

:: Assista a trechos da entrevista com WMarcão:

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história