Os 20 anos da morte de Mussum Reprodução/Ver Descrição

Foto: Reprodução / Ver Descrição

Eternizado pelos bordões "Cacildis" e "Forévis", Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, deixou saudade. Hoje, faz exatos 20 anos que ele faleceu, aos 53 anos, após um transplante de coração.

O apelido famoso veio em 1965, quando Antônio Carlos era cabo da Aeronáutica e participava do programa Bairro Feliz, na TV Globo, com Os Originais do Samba.
A essa altura, ninguém sabia do seu lado cômico, mas não teve jeito: após um ataque de riso, Grande Otelo deixou cair no chão o livro no qual escondia a cola das suas falas. Desconcertado, o comediante olhou para o sambista e fuzilou:

- Tá rindo de que, ô, Mussum?

Desde então, Antônio Carlos virou Mussum.

Bons tempos dos Trapalhões

Em 1967, Mussum participou da Escolinha do Professor Raimundo, em que o personagem ganhou sua marca registrada ao pronunciar todas as palavras com a sílaba "is" no final. Só em 1973, ele passou a integrar a trupe dos Trapalhões, ao lado de Dedé Santana, Didi e Zacarias.

O sucesso foi enorme, e, juntos, além do programa na TV Globo, Os Trapalhões fizeram mais de 40 filmes. Para homenageá-lo, o Vídeo Show (RBS TV, 13h50min) desta semana vai relembrar os seus melhores momentos no quarteto.

E tem mais: foi lançada neste mês uma biografia escrita pelo jornalista Juliano Barreto. Mussum Forévis _ Samba, Mé e Trapalhões, da editora LeYa (preço médio de R$ 50), conta a história da vida desse carioca.

DIÁRIO GAÚCHO
 Veja também
 
 Comente essa história