Cássia Eller - O Musical entra em cartaz neste fim de semana em Florianópolis  Marcos Hermes/Divulgação

A cantora curitibana Tacy de Campos interpreta Cássia Eller

Foto: Marcos Hermes / Divulgação

Cássia Eller foi uma das figuras mais interessantes da história recente da música brasileira. Enquanto no palco prevalecia a atitude enérgica, aguerrida e completamente desprendida, na intimidade era apenas doçura. Sempre, claro, quebrando tabus e padrões sociais e musicais. Era tudo e nada - e sem contradições. Era ela o tempo todo, sendo anjo ou fera, mostrando os seios e seu rock'n roll ou descortinando a suavidade da voz rouca em sambas cadenciados e canções de amor. Em Cássia Eller - O Musical, os intensos 39 anos da cantora são encenados e cantados pela primeira vez depois da morte prematura em dezembro de 2001. O espetáculo entra em cartaz neste fim de semana em Florianópolis, com duas sessões no sábado e uma no domingo.

Catarinense Emerson Espindola vive Nando Reis no espetáculo
Leia as principais notícias do dia em Santa Catarina

A montagem estreou em maio do ano passado no Rio de Janeiro e segue a mesma trajetória de sucesso dos musicais biográficos Cazuza e Tim Maia, também dirigidos por João Fonseca e Vinícius Arneiro. O espetáculo, entretanto, em vez de suntuoso, é inspirado no jeitão da cantora, simples e despojado. O projeto idealizado por Gustavo Nunes com texto de Patrícia Andrade passou por aprovação da família e foi visto com bons olhos pela ex-companheira da artista, Maria Eugênia Vieira Martins.

A tímida e talentosíssima curitibana Tacy de Campos, 25 anos, vive a protagonista no palco. Foi um achado da produção, que a convidou para participar das audições depois de assistir a um vídeo da garota na internet. Antes do musical ela já cantava em uma banda cover que interpreta apenas as músicas lado B de Cássia Eller. A timidez e a voz, diz, são os únicos pontos em comum entre as duas:

ASSISTA - Como foi a audição de Tacy de Campos:

- O baixista Fernando Nunes e a percussionista Lan Lan tocaram com ela e nos contam histórias. Descobri que era um ser mais humano do que os outros. Tinha muita generosidade e uma vida normal. Palco é palco, mas a vida é diferente, e ela não era uma pessoa difícil, estava sempre de bem.

Tacy passou por preparação corporal e aulas de atuação para o papel. Ao longo de duas horas e 15 minutos, ela canta, toca e revive a cantora dos 18 anos, quando expõe a homossexualidade, até os 39, quando morre no auge da carreira vítima de um infarto do miocárdio.

MÚSICA INÉDITA

A direção musical é de Elaine Moreira, a Lan Lan, percussionista na banda de Cássia e amiga pessoal.

- As 39 músicas parecem muito, mas é pouco para sintetizar a obra. Foi uma costura de retalhos, com grandes sucessos e compositores que ela gostava - conta.

O espetáculo traz também nomes adorados pela cantora, mas que não chegou a interpretar, além da inédita Flor do Sol, escrita aos 20 anos em parceria com a amiga Simone Saback, quando morava em Brasília.

- A canção foi descoberta durante a produção do musical. Está no repertório porque conta a história do primeiro amor de Cássia - explica Lan Lan.

ASSISTA - Tacy de Campos, Zélia Duncan, Mart'nália e Lan Lan mostram os seios no show em homenagem à Cássia Eller no Rock in Rio 2015


AGENDE-SE

O quê: Cássia Eller - O Musical
Quando: sábado, às 16h e às 20h; domingo, às 19h
Onde: Teatro Pedro Ivo (Rod.SC-401, 4.600, Saco Grande, Florianópolis)
Quanto: a partir de R$ 50, R$ 25 (meia) e R$ 35 (Clube do Assinante - titular e acompanhante), à venda no site Blueticket e nas bilheterias dos teatros Pedro Ivo, Ademir Rosa (CIC) e Álvaro de Carvalho (TAC)

Informações: (48) 3665-1630

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história