A autoentrevista de Lulu Santos I Hate Flash/ Divulgação/Rock in Rio

Lulu Santos toca em Tubarão e Florianópolis nesta sexta e sábado

Foto: I Hate Flash/ Divulgação / Rock in Rio

Nesta semana, vivemos na redação do DC um fato inusitado: nosso primeiro caso de autoentrevista. O protagonista da história foi Lulu Santos. Que o cara não é dos mais receptivos com a imprensa não é nenhuma novidade. Se ele é todo simpático, sorridente e emocionado no The Voice e soltinho chamando o público para cantar junto nos shows, para a gente — pobres jornalistas que aqui só querem trabalhar para levar a melhor informação para a família catarinense, como gosta de dizer o colega Emerson Gasperin — ele não costuma mostrar muito os dentes, não.

Por que todo mundo quer ser do time do Lulu no The Voice, por Dudu Fileti

A exceção fica por conta da participação ao vivo no Vídeo Show, onde ele andou se engraçando todo esses dias com a Mônica Iozzi... Quer saber mais fofocas de bastidores? No último Planeta Atlântida que tocou aqui em Floripa, ele não aceitou ir ao estúdio da TVCOM bater um papo como fizeram todos os outros artistas e também não quis deixar o Sam Alves tocar TRÊS MÚSICAS antes do show dele. Isso para não dizerem que estou aqui de recalque só porque ele me desprezou.

Enfim, a questão é que, não se sabe exatamente por que, na quinta-feira, a repórter do DC recebeu em seu e-mail respostas para perguntas que não fez (ela havia mandado, na semana anterior, outras perguntas para o artista). Teria sido um engano? Será que não trocaram a nossa entrevista com a de outro veículo? Não! Foi isto mesmo: Lulu perguntou, Santos respondeu! A assessora de imprensa do cantor disse que não curtiu as questões que foram enviadas e decidiu elaborar outras. Simples assim. Em vez de responder sobre relacionamento com os fãs nas redes sociais, parceria com Mr Catra, aproximação com o público por conta do The Voice e o medo de ficar mais conhecido como jurado do programa do que como o hitmaker que é, ele quis falar exclusivamente sobre o show de Floripa neste sábado — tem outro antes em Tubarão nesta sexta. Confira aí a autoentrevista que, obviamente, não foi publicada no Anexo do DC e que agora vem dar o ar da graça aqui no site. Avalie.

Como é trazer este show, com tantos sucessos, para Florianópolis, especialmente depois do show histórico do último sábado no Rock in Rio?
O público parece apreciar e compreender as novidades, e embarca conosco na estripulia estética que propomos. Sinto um enorme prazer de contar com a cumplicidade das pessoas, o que nos torna mais seguros para inventar.

Além dos grandes hits, o que o público pode esperar do show ClubeLux? Convidamos o DJ Sany Pitbull para se juntar à formação tocando 'live', além das intervenções sequenciadas com nosso SoundScaper HiroSan. Fora isto temos o retorno triunfal d Milton Guedes, sempre uma atração extra.

A proposta de ClubeLux é exatamente essa: misturar hits com seus novos sucessos? Podemos dizer, então, que esse é um show com a "cara do Lulu", já que mostra suas diversas facetas e estilos/momentos musicais?
O álbum Luiz Maurício deixou bem claro q a mistura d elementos eletrônicos já é inevitável em nossa sintaxe musical. tocamos algumas musicas do Luiz Mauricio e mais praticamente todos os clássicos q todo mundo quer ouvir.

A assessoria do evento em Floripa — não confundir com a do cantor que fez esse rolo todo — me mandou convites para o show. Terminando de escrever este texto, estou achando que talvez seja melhor não ir...

 DC Recomenda
 
 Comente essa história