Biografia não autorizada conta a história do artista Geraldo Vandré Ver Descrição/Ver Descrição

Em Vandré - O Homem que Disse Não, jornalista Jorge Fernando dos Santos examina a trajetória controversa do músico

Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

Falar de anos 60 no Brasil é lembrar da ditadura, do Cinema Novo, da Tropicália. Se há uma canção que pode simbolizar essa década na história do país, é Pra Não Dizer que Não Falei das Flores, de Geraldo Vandré. O artista finalmente tem sua trajetória - tão controversa quanto a repercussão de sua principal obra - examinada na biografia Vandré - O Homem que Disse Não. Para escrevê-la, o jornalista mineiro Jorge Fernando dos Santos consultou arquivos, entrevistou pessoas próximas ao cantor, assistiu a documentários. Só não conseguiu sensibilizar o próprio alvo de sua pesquisa: todas as suas tentativas de falar com Vandré fracassaram. Segundo o autor, Vandré não atende ao telefone e não aprova biografias. Isso não impediu que, na medida do possível, o livro jogue um pouco de luz ao maior enigma da MPB.

Livro traz reflexões e memórias de Kim Gordon, ex-Sonic Youth
Crise na 10ª Bienal do Mercosul

Começo romântico
Vandré começou a carreira compondo e cantando canções de amor. Chegou a flertar com a Bossa Nova, fazendo parcerias com Baden Powell, Carlos Lyra e Gilberto Gil - romperia com este último, dizendo que "ele faz qualquer coisa". Foi o primeiro a gravar Samba em Prelúdio (Baden e Vinícius de Moraes), em companhia da catarinense Ana Lúcia. Lançada em compacto em fevereiro de 1963, a música fez um estrondoso sucesso.

Na mira dos milicos
Artista ligado ao seu tempo, não tardou para Vandré passar a abordar a situação política em suas letras. Em julho de 1968, ele viajou para a Europa com o Trio Marayá para diversas apresentações e participar de um festival musical na vermelhíssima Bulgária. Lá, sua canção Che (em homenagem a Guevara) ganhou a medalha de ouro e seu autor foi consagrado como o melhor intérprete. Ou seja, na volta ao país, Vandré já estava visado pelos milicos. Naquele mesmo ano, na final do Festival Internacional da Canção, um jurado chegou a escrever na ficha de votação: "Left" (esquerda, em inglês). Mesmo ovacionada pelo público, seria impossível Pra Não Dizer que Não Falei das Flores vencer ali - o primeiro lugar ficou com Sabiá, de Chico Buarque e Tom Jobim.

Homenagem à FAB
Entre exílios (voluntários) pelo Chile e pela Europa, ao se estabelecer no Brasil novamente Vandré passou a se distanciar da imagem de rebelde. Chegou a compor uma canção chamada Fabiana em homenagem ao "exército azul", a Força Aérea Brasileira (FAB), com versos como "vive em tuas asas, todo o meu viver, meu sonhar marinho, todo amanhecer". Os amigos não entendem o que aconteceu com ele. Talvez nem o próprio.



Vandré - O Homem que Disse Não
Editora Geração
312 páginas
Preço médio R$ 39,90
 DC Recomenda
 
 Comente essa história