Cinema e TV resgatam universos de antigos sucessos para seguir faturando Sony Pictures/Divulgação

Foto: Sony Pictures / Divulgação

Se na última década a ordem foi reiniciar e refazer, um terceiro "re-alguma-coisa" pode ser agora acrescentado à linha de produção da cultura pop: retomar. No cinema e na TV, universos há muito esquecidos estão sendo resgatados em forma de continuações – tudo para permanecer explorando ao máximo a memória afetiva (e o dinheiro) do público com o mínimo de risco.

O fenômeno é semelhante ao que ocorre com bandas de rock, que se recusam a parar se lançando em "turnês de despedida" que, muitas vezes, duram bem mais do que deveriam. Mas isso costuma atrair um público saudosista disposto a pagar para reviver o passado e, de quebra, pode angariar novos fãs.

Ridley Scott confirma Ryan Gosling na sequência de Blade Runner

– Na verdade, todos os pontos convergem para uma coisa só: dinheiro – resume Renan Martins Frade, jornalista especializado em cultura pop e editor do site Judão. – Gasta-se muita grana com entretenimento, em um nível que ninguém quer arriscar.

Para Frade, essa situação pode ser observada especialmente na TV, que vive agora uma espécie de Era de Ouro das séries e tenta faturar de todas as maneiras possíveis – incluindo aí retomar universos que ainda calam fundo no coração do espectador.
– Esse quadro faz qualquer executivo pensar: "Se eu fiz muito sucesso e ganhei muito dinheiro com Arquivo X nos anos 1990, o que eu conquistaria agora?". Principalmente em um mundo no qual a série se tornou cult.

Cinema de assinatura de cinema é lançado no Brasil
Carlota Joaquina, Tubarão e A Noviça Rebelde voltam aos cinemas

No cinema, Frade acredita que a situação seja um pouco mais complexa, uma vez que reboots e remakes, que se tornaram regra nos últimos anos, acabam se misturando às retomadas. O resultado são híbridos bizarros, que podem fracassar (como O Exterminador do Futuro – Gênesis) ou se dar muito bem (Mad Max – Estrada da Fúria), mas que não dão pinta de que vão diminuir de ritmo – um novo Caça-Fantasmas já está sendo filmado e outras antigas franquias estão em vias de serem retomadas.

É só reparar: das 10 maiores arrecadações do cinema nos EUA em 2015 até agora, apenas duas são originais: Divertida Mente e Cada um na Sua Casa.

– Certamente há grandes ideias por aí, de cineastas novos e talentosos, mas ninguém quer bancar isso sem ter a certeza de que vai render dinheiro. Então, entre um reboot/remake/continuação e um projeto caro autoral, o primeiro fatalmente vai se dar melhor em um grande estúdio – diz Frade.

SÉRIES
Pelo menos duas séries gigantes do século passado estão de volta. Hoje cultuada, a trama sombria e absurda de Twin Peaks não foi exatamente um sucesso de audiência na época de sua exibição, entre 1990 e 1991. Resultado: não passou da segunda temporada. Mas o tempo fez bem ao seriado e, graças à pressão dos fãs, a bizarra cidadezinha do norte dos EUA tem previsão de voltar ao ar em 2017 estrelada pelo elenco original e com episódios escritos por Mark Frost e David Lynch. Melhor vida teve outra série dos anos 1990, a igualmente cult Arquivo X, que no seu auge foi dona de uma audiência média de 20 milhões de televisores ligados nos EUA. Decidido a retomar parte desse sucesso, o criador do seriado, Chris Carter, juntou novamente a dupla de detetives Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson) – aposentada desde a (então considerada) última temporada, em 2002 – para uma nova rodada de alienígenas e teorias da conspiração. A estreia está marcada para janeiro.



FILMES
O cinema é pródigo na nobre arte da reciclagem. Maior bilheteria de 2015 até agora, Jurassic World (que segue em cartaz no Estado) é nada menos do que a continuação de Jurassic Park, de 1993: mais de 20 anos depois do fracasso inicial, o parque dos dinossauros está em pleno funcionamento, ocupando o mesmo lugar (a ilha Nublar) e liderado por um dos cientistas responsáveis pela criação dos monstros nos anos 1990. Uma das apostas de blockbuster do ano que vem é o novo filme dos Caça-Fantasmas, que depois de décadas tentando emplacar um terceiro longa com os atores originais, entregou-se a uma mistura de remake, reboot e retomada. Agora, a equipe é formada por quatro mulheres que caçam assombrações em Nova York usando os mesmos equipamentos e veículo dos filmes anteriores. Participações do elenco original estão confirmadas, como Dan Aykroyd e Bill Murray. Além de Caça-Fantasmas, mais duas sequências de clássicos dos anos 1980 circulam na bolsa de apostas: Os Goonies (1985) e Beetlejuice (1988) – sem contar Star Wars – O Despertar da Força, mas esse já estava previsto desde o início para ser três trilogias.

SEGUNDO CADERNO
 DC Recomenda
 
 Comente essa história