Exposição em Joinville tem como tema as sensações do pensamento psicótico Claudia Baartsch/Especial

Exposição Delírio Coletivo em Joinville

Foto: Claudia Baartsch / Especial

A proposta da exposição Delírio, que será aberta hoje à noite na Galeria 33, em Joinville, surgiu dos espaços vazios de uma cartela de ansiolíticos. Ela estava no caminho do artista visual Anderson Rosa, que justamente pensava em um tema para a próxima coletiva. Jogada na calçada, ela o despertou para as questões relacionadas à perturbação psíquica. Era a epifania perfeita para começar a explorar as opções que, combinadas com o estilo dos artistas que ele já tinha em mente, levariam a este diagnóstico: entre as alterações mentais, o delírio era a que tinha mais ligação com a produção de Anderson, Fábio Pantoni, Igor Mendes, Jan M.O. e Paulo Agostini.

As 30 obras que compõem a mostra Delírio, entre desenhos, pinturas, vídeos e objetos, foram produzidas especialmente a partir deste tema para a coletiva. Mesmo que com técnicas e estilos diferentes, elas conversam entre si ao dar forma às sensações do pensamento psicótico.

Com tinta acrílica sobre tela, Igor apresenta duas pinturas, além de dois desenhos e uma instalação, obras que remetem à influência surrealista. Fabio Pantoni e Paulo Agostini, que tem o estudo da forma humana feminina como linha de pesquisa, produziram sete pinturas cada um – o primeiro, com tinta acrílica sobre tela, e o segundo utiliza sobre o papel. Anderson entrega à exposição seis telas, dois objetos e um vídeo, nos quais trabalhou a desconstrução das características comuns ao seu estilo, partindo da pintura e chegando ao desenho. Por fim, Jan M.O. juntou-se ao grupo com um vídeo e cinco desenhos que, produzidos com nanquim, tinta spray e grafite sobre papel, passeiam pelas técnicas do pontilhismo, o que, por si só, já faz Anderson defini-los como obra obsessiva.

Leia mais notícias de Joinville e região

A união destes artistas também tem outra marca: todos fazem parte da nova geração de artistas visuais joinvilenses, mas que já viram sua estreia ocorrer há alguns anos e têm no currículo outras coletivas ou exposições individuais. É uma tendência que Alceu Bett, proprietário da Galeria 33, pretende seguir em seu espaço expositivo.

– Será a quinta exposição da galeria, sem contar aquelas com o acervo, e a primeira a usar todas as salas. É nossa intenção fazer este trabalho de abrir para novos artistas e para experimentações, para transgredir as linhas de exposições tradicionais – afirma Alceu.

Serviço

O Quê:
abertura da exposição Delírio.

Quando: hoje, às 19h30, com visitação a partir desta sexta-feira, das 14 às 18 horas, até 23 de outubro.

Onde: Galeria 33 (rua Bento Gonçalves, 33, Glória).

Quanto: gratuito
A NOTÍCIA
 Veja também
 
 Comente essa história