Misturando rock com ritmos tradicionais alemães, banda Uhul faz sucesso nas festas de outubro Felipe Scharf/Divulgação

Banda começou com a intenção de fazer rock divertido, com músicas sobre cerveja e bebedeira

Foto: Felipe Scharf / Divulgação

Quando outubro começou, os integrantes da banda Uhul tinham na agenda 22 dias riscados com nomes de cidade. Até o mês chegar ao fim, é bem possível que quase todos os dias dele tenham sido preenchidos por shows em Santa Catarina e em outros Estados. É o momento auge para os seis joinvilenses, que, trajados com roupas típicas da cultura alemã, fazem uma música ainda sem gênero para defini-la.

O fato é que ela é feita com duas guitarras, contrabaixo, bateria, saxofone e trombone, tem influências que caminham entre o folk e o hardcore e dá uma passada larga para alcançar um estilo que parecia improvável de misturar com rock: as marchinhas regionais germânicas.

Dito isso, fica fácil compreender o porquê de o mês de outubro da Uhul estar com a agenda cheia: eles estarão nas festas típicas do Estado, como a Schroederfest, a Fenarreco e, claro, na Oktoberfest (da catarinense Blumenau e da gaúcha Santa Cruz do Sul). Nos intervalos, estarão em pubs e bares. 

— Os produtores destas festas nos convidam dizendo que precisam de uma música que chame o público jovem para o evento. Isso porque a Uhul casa com a temática cervejeira e regional, mas com um ritmo mais rápido, animado, que permite pular e dançar — avalia o baixista Tiago Fachini.

Foi da parceria de Tiago com o vocalista e guitarrista Thomson Schuelter que a banda começou, há cerca de oito anos. Thom havia escrito algumas músicas com a intenção de fazer um rock divertido, Tiago curtiu e a dupla começou a busca por membros que tivessem o mesmo DNA: o da zoeira.

— Acabou que a banda foi atraindo músicos que curtiram essa vibe positiva e eles mesmos se convidaram para entrar — conta Tiago.

O primeiro álbum, Não Lembramos de Nada, foi lançado em 2010 com 14 faixas que versavam sobre cerveja, bebedeiras, bar e o cachorro Iggy Pop, mascote do grupo. Depois, vieram Amor, Cerveja e Amigos, de 2013; e, no último mês de junho, chegou Os Campos de Puro Malte — todos eles fazendo um ode à cerveja e ao espírito etílico.
Na pegada dos eventos de outubro, a banda ainda colocou à disposição Especial de Outubro - Vol. 1, que conta com dez canções tradicionais das festas alemãs divididas em cinco faixas. Para os próximos meses, estão em preparação o segundo volume das marchinhas alemãs em versão rock'n roll e um novo CD de inéditas.

— A banda tem 40 músicas já pensadas e programadas, com algumas das melhores selecionadas para um novo CD de inéditas que deve ser lançado no primeiro semestre de 2016 — promete Tiago.

Confira o clipe de Um Cara Experiente, do álbum Os Campos de Puro Malte:


O som do Sul

Os caras da banda Uhul — que, além de Tiago e Thom, conta com Rodrigo Döhler, André Venâncio, André Steuernagel e Lucas Naspolini — sabem bem como é o cenário do rock na região, e toda a diversidade que pode ser encontrada na música independente de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Mesmo assim, não podem evitar que o grupo, ao chegar a shows em outros Estados, sejam considerados a cara e a voz do Sul do Brasil. Por causa do estilo, a Uhul tornou-se a representação desta região do País.

— Nos tornamos referência, até porque em lugares como Rio de Janeiro e São Paulo não há ponto de comparação com outras bandas. O som e o show que fazemos é muito diferente do que eles estão acostumados e, por isso, é incrível como estamos sendo bem recebidos no Brasil inteiro — afirma Tiago.

Leia mais sobre as bandas de rock de Joinville e região no blog Orelhada

Confira as datas dos próximos shows:

8/10 - Fenarreco (Brusque)
9/10 - Hangar 7 (Joaçaba)
10/10 - Oktoberfest - Setor 2 (Blumenau)
11/10 - Oktoberfest - Setor 1 (Blumenau)
13/10 - Oktoberfest (Santa Cruz Do Sul)
14/10 - Oktoberfest (Santa Cruz Do Sul)
15/10 - Fenarreco (Brusque)

A NOTÍCIA
 DC Recomenda
 
 Comente essa história