Professor universitário e dramaturgo, Rogério Christofoletti é autor de oito peças, entre elas Urano Quer Mudar e F., que levou cinco prêmios (incluindo melhor espetáculo) no Festival Isnard Azevedo de 2002. A convite do DC, selecionou as peças infantis e adultas mais legais para assistir no Floripa Teatro 2015 - Festival Isnard Azevedo, que está na 22ª edição e segue até domingo, na Capital.

Confira a programação completa do Floripa Teatro - Festival Isnard Azevedo

Segunda (19)

20h - Um, Dois, Três: Alice, Téspis Cia. de Teatro (Itajaí/SC), teatro contemporâneo, 42min, infantojuvenil / a partir de 4 anos, Circo da Dona Bilica, Morro das Pedras.

É insaciável o apetite teatral para montagens do clássico de Lewis Carrol. Mas narrativa especular, os personagens inusitados e o desafio permanente sobre razão e ilusão atraem crianças e adultos.

20h30 - GuardaChuva, (E)xperiência Subterrânea (Florianópolis/SC), drama, 50min, adulto / a partir de 14 anos, Cena Aberta nas Comunidades, Rua Victor Meirelles, Centro. OBS: em caso de chuva, Museu da Escola Catarinense, Centro. Haverá debate performativo com o Prof. Dr. Flávio Desgranges no Hall do Museu após o espetáculo.

(E)xperiência Subterrânea é um grupo local de DNA inquieto, com dramaturgias ousadias, atores no limite e direção sempre provocadora. Ver esse espetáculo na rua, em pleno calçamento da Victor Meireles, ao sabor de todos os riscos é uma experiência que me deixa muito curioso.

Terça (20)

9h30 e 14h30 - Cinco Semanas em um Balão, Sabre de Luz Teatro (São Paulo/SP), aventura, 50min, infantil / a partir de 4 anos, Teatro Governador Pedro Ivo, Saco Grande.

Júlio Verne é um autor imprescindível para apresentar aos pequenos leitores. Suas histórias são cheias de fantasia, entusiasmo e curiosidades científicas. Só este motivo já seria o suficiente para levar a criançada ao teatro. A montagem da Cia. Sabre de Luz, de São Paulo, aproveita a criatividade contagiante de Júlio Verne para incentivar a plateia a buscar tesouros não em objetos raros e reluzentes, mas nas experiências e aventuras da vida.



21h - UZ, La Vaca Companhia de Artes Cênicas (Florianópolis/SC), comédia, 95min, adulto / a partir de 14 anos, Teatro Ademir Rosa/CIC, Agronômica. Após a apresentação haverá debate performativo  com coordenação do Prof. Dr. Flávio Desgranges.

Embora seja de 2006, o texto do uruguaio Gabriel Calderón cabe como um soco no estômago na realidade brasileira atual. Em cena, uma alegoria que discute sem pudores os fundamentalismos religiosos, a hipocrisia dos costumes e o controle social exercido por arautos divinos. Diante de bancadas parlamentares das igrejas e da (re)definição sobre o modelo da família no país, vale conferir. Ainda mais porque se trata de mais um texto de Calderón montado pela La Vaca, de Florianópolis. A primeira experiência foi com Mi Muñequita, em 2008.

Quarta (21)

14h30
- Contos que a Vovó Conta, Círculo Artísitico Teodora (Florianópolis/SC), narrativa de contos, 40min, infantil / 6 a 12 anos, Mostra Quintais Cênicos, Casa do Teatro, Centro. OBS: espaço limitado a 40 pessoas.

Margarida Baird narra as aventuras do curupira, do negrinho do pastoreio e de outros personagens do folclore nacional. Fora de moda? De jeito nenhum! O imaginário popular é infinito e imortal, e os pequenos precisam saber afinal por que aquele garotinho esquisito tem os pés voltados pra trás...

20h e 22h - Odisseo.com, (E)xperiência Subterrânea (Florianópolis/SC) e CELCIT (Buenos Aires/AR), drama, 60min, adulto / a partir de 18 anos, Camarim do Teatro Ademir Rosa/CIC, Agronômica. OBS: espaço limitado a 40 pessoas. Após a exibição das 22h haverá debate performativo com o Prof. Dr. Flávio Desgranges.

Gosto muito de releituras de textos clássicos. Neste caso, temos o texto seminal de Homero – A Odisséia – contado por uma deriva, a da espera e da tentativa de reorganização da vida à distância. Ulysses está em viagem e não há apenas a paciente e fiel Penélope à sua espera. Duas mulheres o aguardam, e eles se comunicam por Skype, WhatsApp e outras formas. Moderno, labiríntico e voyeurístico. Uma iniciativa que reúne artistas brasileiros, argentinos e chilenos, situados em seus países e contracenando em tempo real.

Quinta (22)



14h30
- La Bela Polenta, Círculo Artístico Teodora (Florianópolis/SC), Mostra Quintais Cênicos, drama, 50min, infantil / a partir de 8 anos, Círculo Artístico Teodora, Campeche. OBS: espaço limitado a 25 pessoas.

O espetáculo coloca num navio duas mulheres de países, línguas e histórias diferentes. Com leveza e graça, Brasil e Itália se encontram no meio do oceano. Nesses dias em que somos assaltados com tantas notícias sobre a crise de refugiados na Europa, não seria este espetáculo uma boa forma de como explicar aos filhos o quantos os diferentes são parecidos?

19h - MundoMudo, Companhia Azul Celeste (São José do Rio Preto / SP), drama cômico, 80min, adulto / a partir de 12 anos, Teatro Álvaro de Carvalho, Centro.

Dois velhos palhaços, largados num circo. Silêncios em cena. Sim, este espetáculo dialoga diretamente com “Fim de Partida”, de Samuel Beckett, o que já chama a atenção. Mas não é apenas isso. Trata-se do espetáculo que celebra 25 anos da Azul Celeste, uma das mais prestigiadas companhias teatrais do interior de São Paulo. Com MundoMudo, os azuis deixaram o festival de Pirassununga em abril com seis prêmios, inclusive o de melhor espetáculo.

Sexta (23)

9h30 e 14h30
- A Jornada de Kim, Turbina Criativa (Rio de Janeiro/RJ), teatro de animação, 55min, infantil / a partir de 4 anos, Teatro Governador Pedro Ivo, Saco Grande.

Os cariocas da Turbina Criativa apresentam ao público mirim um espetáculo recheado de recursos cênicos, com animações, canções e doses generosas de aventura. Teatro colorido, que enche os olhos e que enternece.

19h - Otelo, Persona Cia de Teatro (Florianópolis/SC), drama, 90min, adulto / a partir de 12 anos, Teatro Álvaro de Carvalho, Centro. Haverá debate performativo após a sessão.

Acompanhar um festival e não assistir a nenhum Shakespeare é uma espécie de pecado teatral. Nesta montagem, mais uma releitura contemporânea do clássico que inventou o ciúme como o conhecemos hoje. Três detalhes: tudo se passa numa grande corporação empresarial, Otelo não é negro e Iago é Iara. Aliás, fique de olho nela.

Sábado (24)

11h30
- Histórias Horripilantes, Teatro em Trâmite (Florianópolis/SC), contação de histórias, 25min, infantojuvenil / 8 a 14 anos, Mostra Quintais Cênicos, Micro Centro Cultural Casa Vermelha, Centro.

Dois sujeitos esquisitões se propõem a narrar casos mais do que estranhos. Boa oportunidade para levar as crianças a pensar: onde mesmo estão as diferenças?

20h - 731 São Doze, Dirigível Coletivo de Teatro (Belém/PA), performance, 60 a 180min, adulto / a partir de 18 anos, Mostra Quintais Cênicos, Micro Centro Cultural Casa Vermelha, Centro. OBS: público limitado em 12 pessoas.

Fernando Pessoa tem uma obra tão multifacetada e devastadora que, volta e meia, serve de motor e ponto de fuga para o teatro. É o que se percebe no caso dos paraenses do coletivo Dirigível que trazem a Florianópolis uma mistura de performance, artes visuais, dança e poesia. A partir da obra do poeta português, os artistas revivem a história do próprio grupo de teatro, na medida em que sedimentam suas escolhas políticas e estéticas. Não vi ainda, mas não quero perder.

Domingo (25)



20h
- Orígenes Hacia El Sur (Encerramento do Floripa Teatro – 22º Festival Isnard Azevedo), Teatro Itinerante Del Sol (Boyacá / Colômbia) e Maraccas Brasil (Cambé/PR), drama, 60min, / a partir de 12 anos, Teatro Ademir Rosa/CIC, Agronômica.

Trata-se do espetáculo convidado pela organização para encerrar esta 22ª edição do festival, e uma grande oportunidade para conhecer e se inteirar com o que os colombianos do Teatro Itinerante del Sol produziram juntando mitos, utopias e explicações sobre a engenharia celeste a criação de universos.
 DC Recomenda
 
 Comente essa história