Série Odeio Segundas começa quarta-feira no canal GNT Rachel Tanugi/Divulgação

Donos do escritório: (da esq. para a dir.) Anderson Müller, Lyv Ziese, Carol Machado, Flavio Pardal, Fernanda Paes Leme, Thiago Rodrigues e Marisa Orth (à frente)

Foto: Rachel Tanugi / Divulgação

É quase consenso que a segunda-feira é o pior dia da semana. Mas até esse momento enfadonho pode render boas risadas se for visto pela ótica de Alexandre Machado e Fernanda Young: estreia na próxima quarta, às 23h, o novo seriado do GNT, Odeio Segundas.

Master Chef Júnior começa nesta terça-feira

A série com roteiro assinado pelo casal, que também é responsável por produções como Os Normais, é fruto de uma parceria entre o canal, a TV Globo e a Conspiração Filmes. Com 10 capítulos, a história se passa no escritório Ashausa & Shuasha. Ali, seis colegas enfrentam situações típicas do dia a dia de trabalho, sempre às segundas – Fernanda Young empresta sua voz para o tedioso dia, o narrador da história.

Clássicos do axé são tema de reedição do Globo de Ouro no canal Viva

Como tema central, está a promoção indevida da personagem Valéria, vivida por Marisa Orth – no enredo, ela se envolve com Murtinho (Anderson Müller), que é casado.

É uma sátira do cotidiano. Todo mundo passa por esses problemas, como saber que alguém tem um caso no escritório – conta o diretor Arthur Fontes, que recebeu ZH no set de filmagens do seriado no centro do Rio de Janeiro

Completam o elenco outros cinco personagens interpretados por Fernanda Paes Leme, Thiago Rodrigues, Flavio Pardal, Carol Machado e Lyv Ziese. Cada um tem sua própria história, paralela à trama principal. É um formato parecido com Seinfeld ou Friends, lembra o diretor:

– Cada figura tem personalidade própria. É o humor do constrangimento, com ritmo acelerado e uma piada atrás da outra. Isso permite mais graça.

Essa veia cômica dos atores também impera nos bastidores da produção. Entre uma cena e outra, Marisa Orth – que gravava desde às 6h da manhã – levanta seu vozeirão para contar piadas. Depois, aos risos, os atores marcam um jantar
do elenco para papear. Talvez o bom humor, mesmo com o cansaço, tivesse explicação: não era uma segunda-feira.

Entrevista com a atriz Marisa Orth

Quem é a Valéria? O público vai se identificar com ela?
É uma mulher madura, acabou de ser largada pelo marido, está com filho sozinha para criar. Está em frangalhos. Ela é muito patética, é daquelas pessoas que pisa no cocô de cachorro duas vezes no mesmo dia. Tem um romance com o Murtinho (Anderson Müller) que é fofo porque é muito desajeitado, os dois não têm o menor sex appeal. Todo mundo que tem uma vida de escritório já passou por muitas situações que serão mostradas na série. Escritório entenda-se redação, hospital, alguma rotina. É muito inspirado nisso.

O humor é onde você se sente em casa?
Vou morrer dizendo isso: eu gosto de papel bom. Tem papel bom engraçado e papel bom sério. Sou muito fã do texto do Alexandre Machado e da Fernanda Young. Nesse ponto, eu estou em casa. Gosto do jeito deles, acho que a gente, a essa altura, já estabeleceu uma parceria. Desenvolvi uma amizade com eles. Conhecendo um pouco a vida deles, meio que entendo por que fizeram essa ou aquela piada. Daí fica mais engraçado ainda.

Você se incomoda do público pensar na Marisa Orth e ainda lembrar da Magda, de Sai de Baixo? A Valéria tem algum aspecto que lembra a Magda?
Me incomoda o Viva (canal que reprisa o Sai de Baixo) não me pagar (risos). Só isso me incomoda. Não vou achar ruim fazer sucesso. A Magda me deu uma coisa que todo artista quer. Me deu prestígio, reconhecimento. A Valéria não tem nenhuma relação com a Magda e o público não vai fazer essa relação. Eu me garanto. Podem até ligar a TV procurando a Magda, mas eu me garanto mesmo. Ninguém vai lembrar dela. As pessoas vão ser imersas em um outro universo imediatamente. Está tudo muito bem feito.

*A jornalista viajou a convite do GNT

 DC Recomenda
 
 Comente essa história