Uma ocupação artística na Galeria Gestual Ânderson Domingues/Divulgação

Desenho de Marcos Fioravante, que raspou a tinta branca da parede, deixando os tijolos à vista

Foto: Ânderson Domingues / Divulgação

É com a ideia de se deixar invadir por uma ocupação artística que a Gestual inaugura neste sábado, às 11h, uma exposição que reúne sete de seus artistas representados, todos eles nomes de destaque no circuito.

A ideia sugerida pelo título da mostra, "Ocupando Lucas, 21" – uma referência ao seu endereço –, começa na entrada da galeria, com o entorno da porta tomado por colagens de Fernando Lindote que remetem à estética dos quadrinhos. Adentrando a porta, a escadaria que leva à sala expositiva recebeu uma intervenção também de colagens, na qual Guilherme Dable transforma os degraus, ao menos na aparência, em escada rolante (abaixo).

Fundação Iberê Camargo disponibiliza seu acervo digitalizado
Exposição "Água Viva" distribui resultados de análises do Guaíba para o público
Marina Camargo apresenta exposição no Goethe-Institut
Bienal do Mercosul é adiada

Subindo essa escada "parada-em-movimento", encontra-se uma ocupação ao avesso: o ambiente expositivo foi desocupado de qualquer trabalho pendurado nas paredes. Um segundo olhar revela que as próprias paredes viraram obras.

Em uma delas, Marcos Fioravante raspou, em um procedimento que remete ao princípio da gravura, a tinta branca da superfície e fez um desenho que segue uma linha horizontal com a cor dos tijolos que passam a aparecer (imagem lá no alto).

No outro lado da sala, uma das paredes foi duplicada fora de lugar, estabelecendo uma estranha separação no ambiente (abaixo). É mais um dos trabalhos em que Rommulo Vieira Conceição lida com o espaço, interferindo no modo como vemos os lugares que habitamos e como nos percebemos neles. Assim como Fernando Lindote, Rommulo é um dos artistas que participarão da 10ª Bienal do Mercosul, com abertura prevista para 23 de outubro.

Outra parede da galeria foi ocupada por um trabalho de Gisela Waetge, falecida em agosto após longa luta contra o câncer. Convidada para a mostra pela curadora Gabriela Motta, a artista realizou sua proposta de ocupação enquanto estava internada. Pressentindo que poderia não finalizar o trabalho, fez um manual de instruções de seu projeto, fornecendo detalhamento para sua realização.

De posse dele, Letícia Nunes, assistente da artista ao longo de anos, ocupou a parede com um inconfundível trabalho de Gisela: tramas geométricas e jogos matemáticos com quadriculados e pontos que acompanham as linhas dos tijolos e do rejunte que marcam a textura da parede (abaixo).

– Gisela ficou superenvolvida desde o início. E ela disse que deixaria as instruções para o trabalho porque não sabia se poderia fazê-lo. Lembrar e falar disso agora é arrepiante e emocionante – conta Gabriela.

Fundação Iberê Camargo disponibiliza seu acervo digitalizado
Exposição "Água Viva" distribui resultados de análises do Guaíba para o público
Marina Camargo apresenta exposição no Goethe-Institut
Bienal do Mercosul é adiada

Em outra sala, Nick Rands apresenta esferas que contêm porções de terra que ele recolheu em uma viagem pelo interior do Estado a propósito de um projeto de residência artística em deslocamento que realizou pela 8ª Bienal do Mercosul, em 2011. O artista ainda mostra um vídeo que tem relação com os lugares por onde passou e se abasteceu do solo.

A ideia de ocupação da mostra também envolve espaços da galeria que não costumam receber o público. No corredor entre a reserva técnica e a sala administrativa, Guilherme Dable "empacotou" uma estante de livros (acima), fazendo alguns rasgos precisos que, sugestivamente, deixam a ver sílabas com as quais o espectador pode formar palavras e encontrar a seguinte frase: "O quadro caiu. Bem feito. Não adianta".

Nesse mesmo corredor, Romy Pocztaruk apresenta parte de um trabalho que segue na sala administrativa (abaixo). É uma instalação composta por fotografia e objetos que versam sobre entrecruzamento entre os discurso e a visualidade científica e artística. Na mesma sala, Lindote apresenta uma coluna formada por gibis, estabelecendo uma conexão entre o trabalho na entrada da galeria e o ponto final da visitação.

"Ocupando Lucas, 21" surpreende por apresentar, em uma galeria comercial, trabalhos que escapam à noção tradicional de objeto artístico vendável. Em lugar disso, a proposta da curadora Gabriela Motta é mostrar a produção dos artistas não exatamente por obras anteriormente realizadas, mas por suas pesquisas, motivações e processos criativos. Gabriela comenta:

– A ideia é pensar e discutir a galeria como um lugar que pudesse ultrapassar a dimensão comercial que é próprio de uma galeria. E, assim, apresentar trabalhos mais pelos conceitos com quais os artistas lidam do que com objetos e obras.

OCUPANDO LUCAS, 21
Abertura neste sábado (3/10), às 11h. Visitação de segunda a sexta, das 10h às 19h, sábados, das 10h às 14h. Até 31 de outubro. Entrada gratuita.
Galeria Gestual (Avenida Coronel Lucas de Oliveira, 21), em Porto Alegre, fone (51) 3330-9673.
A exposição: apresenta sete artistas do elenco da Gestual ocupando os espaços da galeria.


 

 Veja também
 
 Comente essa história