Andrey Lehnemann: Curtas de terror que se tornaram longas-metragens David Sandberg/Divulgação

Cena do curta-metragem "Lights Out", de David F. Sandberg que se arrisca agora na direção do longa "Quando as luzes se apagam". Estreia desta quinta-feira (18) nos cinemas

Foto: David Sandberg / Divulgação

Especialista em curtas-metragens de terror e animações, antes de ganhar o aval da produção de James Wan com Quando as Luzes se Apagam, que estreia nesta quinta-feira no país, David F. Sandberg havia lançado ao menos cinco curtas belíssimos que, com sensibilidade, retratavam nossos maiores medos da juventude: o que vivia no nosso armário, debaixo de nossa cama e, claro, o nosso medo de escuro. Essas simplicidades, no terror, são comuns como coadjuvantes, mas não tanto como protagonistas. No Cair da Noite, por exemplo, um filme desastroso de Jonathan Liebesman, demonstrava uma fada do dente amaldiçoada que só se afastava com a luz.

Dica de cinema: Anna Muylaert em sintonia com nossos tempos em Mãe Só Há Uma
Andrey Lehnemann: O retrato inspiracional do esporte no cinema

No longa-metragem de Sandberg, que também dirigirá a sequência de Annabelle, uma mulher atormentada por uma figura de seu passado se vê novamente diante do trauma de sua infância, quando o irmão começa a ter as mesmas visões. A simplicidade da tensão do curta de 2013, Lights Out, já evidenciava o domínio técnico de Sandberg para a tensão – e o apadrinhamento de Wan só demonstra uma confiança no seu trabalho. A luz é novamente o equilíbrio.

É comum que diretores do gênero, aliás, comecem suas carreiras com uma linguagem madura e intrigante em curtas-metragens. O próprio James Wan, em 2003, lançava Saw, que originou um de seus filmes mais famosos: Jogos Mortais. Filmes como Whiplash: Em Busca da PerfeiçãoTemporário 12Half Nelson – EncurraladosBoggie Nights: Prazer Sem LimitesOs 12 MacacosMeninos Não Choram e Eu Não Quero Voltar Sozinho são também extensões de curtas-metragens intrigantes.

No horror, The Pact gerou Pesadelos do Passado, de Nicholas McCarthy; Monster, de 2005, ocasionou a obra-prima O Babadook; Oculus: Chapter 3 trouxe o aclamado O Espelho; Mama e What We Do In The Shadows originaram filmes de mesmo nome; e Uma Noite Alucinante foi desenvolvido por Sam Raimi, após a ideia surgir em Within the Woods. 

Já no ano que vem, o famoso Abe, de Rob McLellan, que gira sobre um robô que quer entender o amor e fará de tudo para isso, chega aos cinemas. Há inúmeros curtas-metragens que gostaria que virassem filmes: ProximityRoom 8, Recife Frio, I'm HereO Tempo que LevaMortal Kombat: Rebirth,U is for UnearthedM is for MailboxSafe HavenA Ride in the Park e Phase I Clinical Trials. Sandberg tem sua primeira prova de fogo nesta quinta-feira.

Lista: cinco grandes curtas-metragens brasileiros de suspense para assistir durante a noite

De Kleber Mendonça Filho, uma das cenas mais marcantes do seu cinema é sem dúvidas o canto angustiante das luvas verdes. 

Vinil Verde (Green Vinyl, 2004, 16') from Kleber Mendonça Filho on Vimeo.

O brilhantismo da simplicidade de Marco Dutra e Juliana Rojas em lidar com traumas emocionais. 

Um Ramo, de Marco Dutra e Juliana Rojas from Matheus Rocha on Vimeo.

Quando a tensão, o medo e a história superam a linguagem ainda amadora. O clímax de Fabiano Soares é inesquecível. 

Montagem do grande Rodrigo Aragão, o filme de Joel Caetano capta o misticismo religioso com uma classe invejável. 

 Curta gaúcho de Ulisses da Motta Costa, a história da personagem-título interpretada com primor por Renata Stein é angustiante e tocante, ao mesmo tempo.


 DC Recomenda
 
 Comente essa história