"Lua em Sagitário", um filme para despertar a juventude Lua em Sagitário/Divulgação

Os atores Manuela Campagna e Fagundes Emanoel em uma das cenas do filme, gravado em três cidades catarinenses: Princesa, Dionísio Cerqueira e Palhoça

Foto: Lua em Sagitário / Divulgação

Há alguns quesitos a serem preenchidos para que se perceba que uma ida ao cinema valeu a pena, um deles é não perceber o tempo passar. Outra característica é se identificar com os personagens, se sentir parte da história, se ver e se envolver na trama. É o caso do longa-metragem Lua em Sagitário, gravado todo em Santa Catarina e com boa parte de atores catarinenses (o que faz a gente se sentir mais ainda em casa), que estreia dia 8 de setembro.

Filme "Aquarius" recebe classificação indicativa polêmica
Andrey Lehnemann: Curtas de terror que se tornaram longas-metragens

Com roteiro mais parecido com a vida real e voltado aos jovens, Lua em Sagitário reacende a inquietude até de quem já passou da idade. O filme foge do enredo estereotipado dos jovens, que costuma se basear em apenas um conflito, principalmente amoroso. A diretora Márcia Paraíso traz à tona temas reincidentes que afetam a adolescência, mas com um olhar crítico para questões atuais, como o preconceito, a empatia, a liberdade, o momento político do país e a disputa pela terra. 

- Eu fiz o filme para falar da questão agrária para os jovens, que é cruelmente exposta pela mídia de massa. Para que os jovens tenham liberdade de pensar sobre si mesmo, construir seu próprio pensamento, sem a obrigatoriedade de repetir os pensamentos dos pais - relata Márcia.

 Amor rumo ao Psicodália

A história é basicamente uma viagem de transformação de uma pessoa através do amor (e também de muito rock'n roll). A protagonista Ana, interpretada por Manuela Campagna, mora em uma cidade de interior, filha única de pais conservadores e com uma imensa vontade de se jogar no mundão, pelo menos, ir até ao Festival de Rock Psicodália. Ao se apaixonar por Murilo (Fagundes Emanoel), um garoto que mora em um assentamento do MST e com ideias e valores essenciais para um mundo mais igualitário, Ana dá início a uma aventura no estilo "mãe, vou viajar para casa da avó da amiga", mas que na verdade é para subir na garupa da moto do namorado e ir ao encontro da sua própria desconstrução. Lua em Sagitário se torna mais especial com a participação de duas figuras emblemáticas brasileiras, Elke Maravilha, que morreu neste mês em agosto, e o roqueiro Serguei.

O filme foi o último filme a ser encenado por Elke Maravilha, que morreu semana passada Foto: lua em sagitário / Divulgação

Em tempos em que as mulheres estão se afirmando cada vez mais, é importante ressaltar a grande presença feminina no set de filmagem, tanto na produção, direção, assistência e atuação. 

As mulheres do longa: a diretora Marcia Paraiso (centro), com Juliana Kroeger (diretora de produção), Manuela Campagna (atriz), Fernanda Cacivio (cabelo e maquiagem), Kike Kreuger (foquista), Luana Amorim (assistente de produção), Ju Baratieri (direção musical e microfonista), Moara Costenaro (figurino), Loli Menezes (direção de arte) e Clara Ferrari (atriz) Foto: Silvio Marchetto / Divulgação

Veja o trailer:

LUA EM SAGITÁRIO - TRAILER OFICIAL CINEMA from Plural Filmes on Vimeo.

Acompanhe as notícias de Entretenimento em SC

 

 Veja também
 
 Comente essa história