"The Get Down" volta na Netflix com episódios que mergulham no surgimento da cultura hip hop Netflix/Divulgação

Foto: Netflix / Divulgação

Muito antes de vender milhões de discos e quebrar recordes de reprodução em serviços de streaming, o hip hop era uma arte exclusiva da periferia. Surgido no final dos anos 1970, em Nova York, o movimento foi comandado por DJs como Grandmaster Flash, Afrika Bambaataa e Kool Herc, que agitavam palcos e pistas de dança improvisados e só podiam ser ouvidos ao vivo. Tentar gravar seus shows para reproduzir em casa ou em uma festinha particular seria um crime para as ruas. É nesse universo que se situa The Get Down, série da Netflix que volta hoje com a parte final da primeira temporada, lançada em agosto do ano passado.

Protagonizada por Ezekiel "Books" Figuero (Justice Smith), a trama gira em torno de um grupo de garotos do sul do Bronx, área mais violenta da cidade. Eles decidem tentar a sorte como um dos tantos conjuntos de rap que surgiam na região. Sem saber o que fazer com o seu talento para a poesia, Books acaba encontrando na mistura da batida e das rimas improvisadas a vocação para ser MC. Comandados por Shaolin Fantastic (Shameik Moore), jovem DJ pupilo do lendário e poderoso Grandmaster Flash, os cinco formam o The Get Down Brothers.

Leia também
"Globo Repórter" vai mostrar caminhada do Cassino até a fronteira com Uruguai
Ed Sheeran conta que dividirá cena com Arya Stark em "Game of Thrones" e brinca: "Eu não morro"

Paralelo ao drama do quinteto, vive a jovem Mylene Cruz (Herizen Guardiola), par romântico de Books. Criada no coral da igreja, a filha de um severo pastor sonha em ser a próxima diva da já decadente disco music, mas encontra na rigidez do pai a sua maior barrreira.

Estimada em US$ 120 milhões, The Get Down chegou a ser a produção mais cara da Netflix (posto hoje ocupado por The Crown) e tem direção do australiano Baz Luhrmann, indicado ao Oscar por Moulin Rouge: Amor em Vermelho (2001).

Grandes nomes do rap participam da produção

Para ajudar na recriação do ambiente, Luhrmann reuniu um time com nomes de peso do hip hop. Entre cantores, DJs, grafiteiros e até jornalistas, destaque para o rapper Nas, que além de produtor-executivo da série, dedicou-se a compor parte da trilha sonora, e Grandmaster Flash, retratado também como personagem, que ministrou workshops para a equipe.

Mais do que reconstruir o cenário musical da época, The Get Down faz um mergulho sociocultural naquele quente verão nova-iorquino de 1977. Com um elenco formado em sua maior parte por negros e latinos, a série ilumina a realidade enfrentada por essas comunidades e faz um recorte histórico do momento enfrentado por Nova York, à época tomada pela violência em meio à explosão do tráfico de cocaína. O abandono dos prédios residenciais do Bronx e o incêndio intencional desses locais para que os proprietários pudessem receber o dinheiro do seguro, o apagão que deixou a cidade às escuras por quase dois dias, a violência entre gangues e a repressão policial constituem o pano de fundo para o drama musical que conta o surgimento do estilo que ajudou a mudar a história da música contemporânea.

Os seis novos episódios de The Get Down já estão disponíveis na Netflix.


 DC Recomenda
 
 Comente essa história