Por que o Centro de Cultura e Eventos da UFSC é um dos melhores espaços para shows de Florianópolis  Caroline Brasil / Divulgação/Divulgação

Diogo Nogueira lotou o centro de eventos da UFSC de fãs apaixonadas

Foto: Caroline Brasil / Divulgação / Divulgação

Desde setembro do ano passado, quando voltou a ser palco para eventos abertos à comunidade em geral e não só a acadêmica, o Centro de Cultura e Eventos (CCE) da UFSC tem sediado espetáculos de grande porte em Florianópolis: Sandy, Ney Matogrosso, Maria Rita, Diogo Nogueira, por exemplo. Com capacidade para 1.371 mil pessoas, quase 500 a mais que o Teatro Ademir Rosa (CIC) — um dos maiores do Estado —, o CCE retoma o posto de importante equipamento cultural de Santa Catarina.

Inaugurado em 2004, foi a partir de 2008 que o local passou a ser palco não só para eventos universitários, mas também culturais e abertos ao público. Entre 2012 e 2016, na gestão da ex-reitora Roselane Neckel, o espaço ficou restrito novamente às atividades acadêmicas — e não sem polêmica entre os produtores culturais e o próprio público da cidade, já que à época o teatro do CIC ainda estava fechado e Florianópolis ficou carente de locais para shows. Com a gestão do atual reitor, Luís Carlos Cancellier, a partir de maio de 2016, a agenda foi retomada.

—Há o entendimento na atual gestão de que é um teatro grande e de que deve estar disponível para a comunidade interna e externa —afirma Rosemar da Silva, do Departamento de Cultura e Eventos da Secretaria de Cultura e Arte da UFSC.

O espaço tem uma comissão de pauta permanente, que avalia pedidos conforme chegam solicitações.

— A ideia é privilegiar espetáculos com relevância artística — salienta Rosemar. Ela adianta que shows como o Milton Nascimento e Elza Soares estão em estudo para entrar para a pauta.

7 Razões - Por que o Centro de Cultura e Eventos é um bom lugar para shows

O auditório Garapuvu está localizado dentro de Centro de Cultura e Eventos e é, efetivamente, o espaço com palco e plateia. Para a produtora Ivanna Toloti, que produziu no local os shows de Maria Rita e Diogo Nogueira, os principais pontos fortes são a largura do palco e a capacidade de público.

— A estrutura de camarim e outros detalhes cênicos, que para o público não faz tanta diferença, ainda podem melhorar — pondera.

1. Capacidade de público

1.371 lugares, sendo 704 na plateia inferior e 667 na superior 

2. Localização

A localização central é um dos pontos fortes do Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Além disso, é uma região acessível também por transporte público.

3. Estacionamento

Grátis. Os carros podem ser deixados nos estacionamentos gratuitos da própria universidade. E ainda conta com a segurança da UFSC. Há saídas pelos bairros Trindade ou Pantanal.

4. Grande hall de entrada

O enorme hall na entrada do auditório Garapuvu é um dos pontos fortes do Centro de Cultura e Eventos. É como um espaço de convivência para antes e depois dos espetáculos. Um bom lugar para encontrar amigos e conversar sobre o show. Tem apenas um pequeno ponto de venda de bebidas e petiscos. Poderia ter mais de um ou ser maior.

5. Banheiros

Poucos, porém limpos e com filas somente na entrada e saída dos shows.

6. Acessibilidade

Tem rampa de acesso larga.

7. Acústica e estrutura de palco

A estrutura de palco é completa e o sistema de iluminação não deixa a desejar se comparado ao Teatro Ademir Rosa, por exemplo. O palco é baixo e a boca de cena larga, fazendo com que o público tenha boa visibilidade.

 Veja também
 
 Comente essa história