10 motivos para celebrar o frio: as tendências e os achados do inverno Camille Reis/Agência RBS/

Foto: Camille Reis/Agência RBS

Com o inverno oficialmente entre nós, reunimos um supertime para apontar 10 tendências a achados da estação. Tem dica de moda, acessório da vez, o hit musical, a comida e a bebida da temporada 2017.

1) A peça-chave
Por Roberta Carlucci, consultora de imagem pessoal e corporativa

O quente do inverno é, definitivamente, o kitten heel. Também conhecido como salto sabrina, foi hit na década de 1950 e caiu nas graças do mundo fashion depois de ser repaginado por Maria Grazia Chiuri em sua coleção inaugural para a Dior no final do ano passado. Chique e confortável, ele é perfeito para montar looks bem femininos ou trazer mais delicadeza para as peças masculinas da temporada, como parkas e maxitricôs. Eu adoro.

Foto: Divulgação

2) O acessório
Por Eduardo Kottmann, stylist e produtor de moda

Além de práticas e estilosas as toucas, gorros ou beanies (carinhosamente chamadas em inglês) são o must-have da temporada. E nem precisa ser tão frio assim pois elas já são usadas em outras estações. As peças deixam qualquer look mais despojado e moderno. Tem para todos os gostos e estilos, com pompom, toda lisa, de lã, crochê, com ou sem aplicação, oversized ou curtinha. Ficam lindas sem distinção de sexo e idade. Com a invasão cada vez mais concreta do fenômeno comercial chamado sportswear/athleisure (que nada mais é do que o uso de roupas descontraídas e esportivas) as toucas se encaixam em praticamente qualquer proposta. É para usar encasacado ou até mesmo com um bom combo shorts + camiseta. Nada mais democrático e bacana.

Foto: Divulgação

3) A make
Por Fabi Arcoverde, maquiadora

São muitas as tendências para este inverno. Mas aposto em uma pele leve, suave, com um blush pêssego, muito rímel e a boca com batom escuro, um vinho, por exemplo, com gloss. Outra tendência muito fácil de se construir é o rímel embaixo do olho, tipo a modelo Twiggy nos anos 1960. Super funciona. Ah, e sem contorno, ele está fora de moda. Até as Kardashians já pararam de fazer. Os contornos agora são suaves.

Foto: Dior/divulgação

4) A série
Gabriela Fantini, designer do Estúdio PE&B

Para começar, Dear White People, da Netflix. A série retrata um grupo de jovens negros estudantes de uma universidade norte-americana que têm um programa de rádio. Na atração, os jovens abordam várias temáticas acerca do racismo e levantam questões polêmicas de maneira sarcástica. A direção tem participação de Barry Jenkins, o mesmo de Moonlight. Outra produção original da Netflix, é a série Glow (foto), que se passa nos anos 1980 no universo das mulheres lutadoras de wrestling – modalidade muito forte na época, nos EUA. Apesar do tom de comédia, com episódios leves, o seriado mostra mulheres fortes, lutando, literalmente, por mais espaço, respeito e reconhecimento. 

Foto: Divulgação

5) O filme
Por Andrey Lehnemann, crítico de cinema

Pouca gente ouviu falar de um filme que chegou aos cinemas dois anos atrás. Tampouco do diretor Michael Almereyda. Isso não coibiu O Experimento de Milgram, que chegou agora à Netflix, de ser aclamado pela crítica. A história gira em torno dos tratamentos do americano Stanley Milgram, cujo objetivo era provar que o comportamento humano obedece a certas regras. O psicólogo foi bastante censurado na época por sugerir que isso corroborava as defesas dos nazistas no Julgamento em Nuremberg, onde a maior justificativa era exatamente o cumprimento de ordens. Se você está cumprindo ordens, você possui cumplicidade? O experimento é profundo como o filme. Peter Sarsgaard, extraordinário, Winona Ryder e Jim Gaffigan estão no elenco.

Foto: Reprodução

6) O hit
Por Nady Petit, comunicadora da Rádio Atlântida

Believer, do Imagine Dragons, é o hit do momento. A música é uma das minhas preferidas do novo álbum deles, Evolve, que acabou de sair do forno. É o terceiro disco dos caras que estão buscando seu espaço desde 2008. Confesso que foi um pouco difícil escolher apenas uma música deles, já que Thunder também está estouranda. Assisti um show, em 2014, na época em que Radioactive era o maior sucesso. Eles têm uma presença de palco que deixou todo mundo no choque. E a aposta do verão no hemisfério norte é I don¿t Know Why. O som tem uma pegada bem forte, que deixa mais quente a estação dos gringos enquanto, provavelmente, vai esquentar o nosso inverninho.

Foto: Reprodução

7) O livro
Por Adriana Krauss, editora-chefe do Bom Dia SC

Depois de uma temporada de leituras sobre o comportamento humano, estava com saudade de embarcar nas palavras perspicazes de algum romancista. Para não errar, escolhi John Grisham, best-seller norte-americano, consagrado na literatura e no cinema. Em A Câmara de Gás estou me aventurando pelas ruas de Greenville (EUA), onde a expectativa pelo futuro do personagem Sam é grande. É 1967 e ele é acusado de explodir escritórios de advocacia de um ativista pelos direitos civis negros. A história tem muitas reviravoltas. Será que Sam vai enfrentar o corredor da morte? É o que vou descobrir até acabar o inverno.

Foto: Reprodução

8) O lugar
Por Camille Reis, colunista

Muito mais do que apenas degustar os rótulos, o inverno pede uma verdadeira celebração em torno do vinho. E Santa Catarina vem se destacando não apenas na produção, mas também na melhoria da estrutura e nos serviços do que podemos chamar de wine experience. Nas vinícolas da Serra e Meio-Oeste tem crescido a oferta de piqueniques em meio aos vinhedos com degustação de vinhos, patês, geleias, queijos, embutidos e pães. Vale se informar sobre a programação de cada vinícola e agendar o programa que, além de delicioso, rende lindas fotos.

Foto: Camille Reis/Agência RBS

9) A comida
Por Renata Diem, fotógrafa e blogueira de gastronomia

Nada consegue superar a sopa quando falamos de comida de inverno. É a que mais aconchega e abraça no friozinho. A sopa de cebola é uma gostosa ideia, com o legume em tirinhas caramelizadas, bem douradas, trazendo um sabor único. Pode ser em uma versão mais líquida ou cremosa e, depois, finalizada com queijo gratinado ao forno. O pão não pode faltar, assim como as torradinhas para beliscar. A minha versão preferida é aquela servida dentro do pão italiano. Não tem coisa melhor do que cavocar o miolo macio do pão e levar à boca junto da sopa. Também podemos tirar as casquinhas crocantes ao redor. Ritual maravilhoso pra aquecer o corpo e a alma.

Foto: Divulgação

10) A bebida
Por Roberta Dalsenter, colunista da revista Donna

É hora de retornar aos clássicos, mas com atenção aos detalhes. O gim é um destilado com infusão de zimbro que serve para base de drinques antigos na coquetelaria, como o Gim Tônica, Dry Martini e o Negroni. Mas há uma variedade interessante de sabores encontrados no mundo do chá e é um desafio divertido experimentar esses sabores e fazê-los brilhar com o gim. Para completar, pimentas da Jamaica e da Índia, cascas de laranja ou limão siciliano e ervas frescas como o alecrim e tomilho são uma boa pedida. Pode apostar.


Foto: Roberta Dalsenter/especial
 Veja também
 
 Comente essa história