"Auto da Compadecida": clássico de Ariano Suassuna ganha montagem de estudantes da Udesc laura biasi/Divulgação

Cia. Caras de Boneco é formada por 15 alunos do curso de Teatro da Udesc

Foto: laura biasi / Divulgação

A história está no imaginário popular. Os pobres sertanejos João Grilo e Chicó, para sobreviverem no sertão, enganam e trapaceiam quem for preciso. Após uma confusão da dupla, João e outros habitantes da cidade morrem e se encontram no céu para o juízo final, com o diabo, Jesus, e, posteriormente, intervenção de Nossa Senhora. Os queridos personagens do Auto da Compadecida, do dramaturgo e escritor paraibano Ariano Suassuna, ganham vida na interpretação dos atores da Cia. Caras de Boneco, formada por alunos da sexta fase do curso de licenciatura em Teatro da Udesc. Nesta sexta-feira (29), a montagem será apresentada no Teatro Ademir Rosa, no CIC. Os ingressos, gratuitos mediante a doação de 1kg de alimento, já estão esgotados. A dica é da produção: quem quiser pode tentar encontrar algum desistente pela página do evento no Facebook ou ir até o teatro no horário da apresentação para ver se sobra algum lugar.

O projeto é o resultado da disciplina de Montagem Teatral, que dura dois semestres e é celeiro de grupos de teatro profissionais, como Erro Grupo e Traço Cia de Teatro. Desde o começo do ano letivo os estudantes estão trabalhando na produção da peça – desde a costura dos tecidos e confecção de bonecos até a divulgação.

— No primeiro semestre, acontece a criação e ensaios. No segundo, o espetáculo estreia e circula. Graças ao projeto de extensão Interiorizando o Ceart, vai ser apresentado em outras cidades de Santa Catarina. O objetivo, além da formação do artista-professor, é fazer com que a comunidade tenha acesso ao produto artístico gerado dentro da universidade — explica o professor Paulo Balardim, que também assina a direção e cenografia do espetáculo.

A peça tem assistência de direção do professor Vicente Concílio e preparação vocal da professora Daiane Dordete, além de trilha sonora arranjada e orquestrada por integrantes da Orquestra Acadêmica Udesc com direção musical de João Titton. O texto, de 1955, foi uma sugestão de Balardim, que queria trabalhar com algum autor brasileiro do teatro popular, bem recebida pelos alunos.

— É um grande nome, um artista responsável por todo o Movimento Armorial (corrente artística que propunha a criação de uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular nordestina). É um texto excepcional e que solicita um número grande de atores, e a gente tinha isso disponível — diz o professor.

São 15 estudantes, que atuam e fazem manipulação de bonecos. Para fortalecer a noção de grupo e a união, eles passaram alguns dias no espaço de residência artística Vale Arvoredo, em São José do Herval, no Rio Grande do Sul, fazendo uma imersão total no espetáculo.

— Foi uma experiência muito legal que a gente resolveu fazer. Fica no meio da mata nativa, tem sala de ensaio, alojamento, e foi o espaço perfeito para a gente focar no trabalho e potencializou muito o desenvolvimento criativo. Trabalhamos 24h por dia em cima do espetáculo. Esse grupo tem um grande potencial artístico e eles estão bem empolgados para seguir uma carreira além de professor — finaliza Balardim.

Agende-se
O quê: Espetáculo Auto da Compadecida
Quando: sexta-feira, às 20h
Onde: Teatro Ademir Rosa – CIC (Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis)
Quanto: gratuito mediante doação de 1kg de alimento. Os ingressos estão esgotados.
No dia 5 de outubro, o espetáculo será apresentado em Joinville e no dia 31, em Chapecó.
Depois, em 25 de novembro, ele volta para a Capital, no Teatro Álvaro de Carvalho – TAC

Leia mais: 

Confirmado: show de Maria Bethânia em Florianópolis será no dia 2 de dezembro 

Consumo de alimentos e bebidas nos teatros Ademir Rosa e Álvaro de Carvalho, na Capital, está proibido 

Conheça Maria Otávia Cordazzo, atriz catarinense surda que está no elenco da nova novela das 18h


tFrom:cms -->
 Veja também
 
 Comente essa história