Morre Carlos Alberto Silva, o "homem do chifre" Flávio Neves/Agencia RBS

Foto: Flávio Neves / Agencia RBS

Morreu nesta quarta-feira em Barra Velha, aos 73 anos (22/11/1943), Carlos Alberto Silva, o "homem do chifre" (ou do megafone), que ficou conhecido pelas fantasias que vestia no litoral catarinense, especialmente em Balneário Camboriú e Florianópolis. A morte, de causas naturais, foi confirmada pela casa de repouso Nosso Lar, onde ele viveu nos últimos três meses. 

Até as 19h, nenhum familiar ou responsável legal foi até Barra Velha retirar o corpo. Se isso não acontecer, Silva, natural de Recife (PE),  será enterrado como indigente.

Conhecido como "homem do chifre" ou "homem do megafone", Carlos Alberto é uma figura folclórica em Florianópolis. Com seu equipamento de trabalho, anunciava o comércio local, principalmente no Centro, e também divertia os pedestres e as figuras públicas da cidade com suas tiradas muitas vezes constrangedoras. 

 Morreu nesta quarta-feira em Barra Velha, aos 74 anos (22/11/1943), Carlos Alberto Silva, o homem do chifre (ou do megafone), que ficou conhecido pelas fantasias que vestia no litoral catarinense, especialmente em Balneário Camboriú e Florianópolis. A morte, de causas naturais, foi confirmada pela casa de repouso Nosso Lar, onde ele viveu nos últimos três meses.
Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

Seus causos envolvendo os figurões volta e meia eram tema de notas nas colunas do Cacau Menezes ou do Visor, como esta do dia 5 de janeiro de 2012:

"Depois de ler a nota na coluna do Cacau, ontem, no balcão do Zezinho, no Mercado Público, sobre a aliança do Cesar Jr. com o João Amin, de que um será prefeito quatro anos e o outro os outros quatro, o propagandista Carlos Alberto, o popular Homem do Chifre, pegou seu megafone e perguntou: eles já combinaram com os russos?"

Rafael Martini: Silêncio no Mercado Público de Florianópolis



 Veja também
 
 Comente essa história