Livro Blade Runner, de Philip K. Dick.
Capa da edição comemorativa de 50 anos de Blade RunnerFoto: Livro Blade Runner / Reprodução

Você pode nunca ter lido um livro do norte-americano Philip K. Dick (1928 -1982), mas conhece suas histórias. Filmes como O vingador do futuro, O pagamento, Agentes do destino,O homem duplo, Minority Report: A Nova Lei e muitos outros saíram das páginas de seus livros. Assim como o clássico Blade Runner: o caçador de androides, de 1982, dirigido por Ridley Scott e inspirado no romance Androides sonham com ovelhas elétricas?

Em homenagem ao aniversário deste clássico da ficção científica, que completa 50 anos em 2018, e aproveitando a onda da continuação Blade Runner 2049, que estreia essa semana nos cinemas, a editora Aleph preparou uma edição comemorativa, já em pré-venda e disponível a partir do dia 15 de outubro, que traz, além de acabamento diferenciado (capa dura e encartes coloridos), materiais extras para enriquecer e aprofundar a experiência da leitura.

Androides sonham com ovelhas elétricas? (Aleph, R$ 63,90, 336 páginas, tradução de Ronaldo Bressane) passeia por temas como a preocupação ambiental e questionamentos religiosos, mas também pelos assuntos favoritos de Dick: o que é, de fato, a realidade, e como podemos definir o que é humano.

Ilustração do livro Blade Runner, Philip K. Dick.
Ilustração da edição comemorativa de 50 anos de Blade Runner.Foto: Livro Blade Runner / Reprodução

O projeto conta com ilustrações inéditas feitas por um time seleto de 10 artistas, nacionais e estrangeiros, cujo admirável trabalho dialoga com o universo de Dick. A ideia foi desenvolver um novo olhar sobre os personagens e cenários da história, recriando uma estética que vai além daquela difundida pelo filme. Colaboram com suas criações os ingleses Dave McKean e Rebecca Hendin, o argentino Liniers, o norte-americado Peter Kuper, a ucraniana Elena Gumeniuk, o italiano Antonello Silverini e os brasileiros Guilherme Petreca, Gustavo Duarte, Danilo Beyruth e Bianca Pinheiro.

O livro ainda apresenta dois textos inéditos: um prefácio exclusivo assinado pelo escritor e jornalista argentino Rodrigo Frésan, leitor assíduo de ficção científica, especialmente da obra de Dick, que retrata a conturbada e impressionante vida do autor; e um ensaio assinado por Douglas Kellner e Steven Best (professoras na Universidade da Califórnia e na Universidade do Texas, respectivamente), no qual os acadêmicos analisam os cenários pós-apocalípticos criados por Dick nesta e em outras obras.

Esta edição comemorativa mantém os extras presentes na edição regular, que a Aleph publica desde 2014: uma carta do autor para os produtores de Blade Runner, na qual profetiza o sucesso da produção; a última entrevista concedida por Dick, publicada em 1982 na revista The Twilight Zone Magazine na ocasião do lançamento do filme; e um posfácio escrito pelo tradutor do livro, Ronaldo Bressane, que avalia o livro em comparação com filme e comenta aspectos da obra não explorados no cinema, como a preocupação ambiental, além das questões religiosas e metafísicas presentes no texto.

Com cerca de 120 contos e 36 romances publicados, Dick influenciou escritores como Roberto Bolaño e Haruki Murakami, e bandas como Bloc Party e Sonic Youth.

Ao longo de sua vida e de sua carreira, Dick nunca deixou de suspeitar do mundo a sua volta, em aparência e em essência. O profundo questionamento da condição humana e da verdadeira natureza da realidade tornou-se uma marca indelével de sua obra.

Leia mais:

Mulher-gato aceita o pedido de casamento de Batman em HQ publicada nos EUA

Confira cinco atrações imperdíveis na Feira do Livro de Rio do Sul

Lançamentos de Lydia Davis e Pedro Juan Gutierrez são os destaques de setembro

 Veja também
 
 Comente essa história