Escolas de samba desfilam na passarela em Florianópolis  Cristiano Estrela/Diário Catarinense

Apresentação da Dascuia

Foto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense

Centenas de pessoas acompanham nas arquibancadas o desfile das escolas de samba do grupo especial de Florianópolis neste sábado. As seis escolas vão disputar o título do Carnaval 2018

Cada escola do Grupo Especial terá uma hora e dez minutos para apresentar ao público e aos jurados todo o trabalho feito durante o ano na avenida. A primeira a desfilar neste sábado é a Dascuia. O samba-enredo da caçula do Carnaval da Capital é Nas memórias de um Griot, surge sua majestade – O samba e o Reino da Pequena África. A apresentação começou por volta das 22h30min. 

Dascuia na passarela em Florianópolis
Abertura dos desfiles, com a DascuiaFoto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense

Por volta das 23h, o trânsito  na Via Expressa, no acesso à Ilha, ainda estava parado. Os desfiles devem seguir até 6h45min, quando está previsto para encerrar a apresentação da Consulado. 

Dascuia na passarela em Florianópolis
Foto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense

Pelo segundo ano consecutivo, as escolas dos grupos de acesso não vão desfilar. O motivo é a falta de recursos financeiros. 

Ordem dos desfiles

Dascuia - 22h30min às 23h40min

A escola de samba Dascuia, a caçula do Carnaval de Florianópolis, promete encantar a plateia com a história do samba desde sua origem no continente africano, passando pela Pequena África, no Rio de Janeiro, até chegar a Florianópolis e na comunidade do Morro do Céu, de onde é o patrono da escola, seu Altamiro José dos Anjos, o Dascuia, de 82 anos. 

 Quem narra essa história é o próprio Dascuia no samba-enredo Nas memórias de um Griot, surge sua majestade – O samba e o Reino da Pequena África. As 24 alas e os cerca de 1,2 mil integrantes pretendem contar um pouco da vida do homem mais apaixonado pelo Carnaval. A escola Dascuia nasceu como um bloco de sujos, o Bonecas da Dadá, em 2004. Em pouco tempo se transformou em escola e em 2014 foi campeã do grupo de acesso.

Nação Guarani - 23h55min às 1h05min

 A escola representante de Palhoça no Carnaval de Florianópolis vai para a Passarela Nego Quirido contar a história e os mistérios do mar, das navegações e das descobertas. O enredo O mapa da vida... Linhas e horizontes de uma Nação ainda fala dos signos, do mapa de Piri Reis, do Cruzeiro do Sul até chegar às suas origens, as tribos tupi-guarani.

A Nação Guarani será a segunda escola a entrar na avenida com cerca de 1,2 mil componentes em 20 alas. A escola nasceu da vontade de representar o município, a união dos povos e a recordação das tribos indígenas. Criada em 2011, a Nação conquistou o campeonato do grupo de acesso em 2015 e hoje é uma associação sem fins lucrativos com diversos trabalhos sociais e culturais realizados ao longo do ano para as pessoas com baixa renda e com necessidades especiais.

Unidos da Coloninha - 1h20min às 2h30min

A escola campeã do grupo especial do Carnaval 2017 de Florianópolis, a Unidos da Coloninha vai para a Passarela Nego Quirido contar a história da tecnologia e suas evoluções. Para honrar a terrinha, a agremiação vai focar nas invenções que saíram do polo tecnológico de Floripa com o enredo Tecnópolis – O Passaporte de Floripa para o Mundo. A gigante do continente vai ter 20 alas e 2 mil integrantes.

A Sociedade Recreativa e Cultural Unidos da Coloninha completou, no dia 10 de janeiro, 56 anos. É uma senhora escola de samba que começou como um bloco de crianças no bairro Estreito e se transformou em uma grande família. A escola ficou afastada do Carnaval por 20 anos e se tornou campeã pela primeira vez em 1984. O título foi o primeiro da série de cinco campeonatos consecutivos alcançados até 1989 (em 1988 não houve desfile). A escola levou a taça ainda em 1995, 2009, 2016 e 2017.

Embaixada Copa Lord - 2h45min às 3h55min

 A Embaixada Copa Lord será a quarta escola a desfilar no Carnaval de Florianópolis 2018. A amarelo, vermelho e branco do Morro da Caixa vai para a Passarela Nego Quirido contar a história do manjericão. A erva, conhecida por seus poderes curativos e de limpeza espiritual, já foi alvo de perseguição até se tornar símbolo de purificação, usada como tempero e, principalmente, nos rituais de diversas religiões e crenças.

A escola vai levar para a avenida 1,3 mil componentes e 21 alas, além de duas alegorias. Criada por quatro amigos, a Copa Lord já tem quase 63 anos de carnavais. O primeiro nome sugerido para a escola foi Os Garotos do Ritmo. Mas, logo ele foi mudado para Embaixada Copa Lord. Embaixada significa a união de negros e brancos no samba, a gíria Copa Lord quer dizer jogada alta. A ideia era que a escola fosse a grande jogada do Carnaval da Capital.

Os Protegidos da Princesa - 4h10min às 5h20min

A escola de samba Os Protegidos da Princesa vai para a Passarela Nego Quirido com o enredo Das terras kaingangs às terras do futuro! A agremiação vai homenagear todo o Oeste catarinense, desde o povo indígena, passando pela colonização, guerras e conflitos até as grandes festas, como o Carnaval de Joaçaba, a festa Farroupilha, e, claro, o futebol. A escola será a penúltima a entrar na avenida com 20 alas, dois carros alegóricos e 1,2 mil integrantes.

A escola do Morro do Mocotó foi fundada em 1948 por marinheiros e é a mais antiga da Ilha. Ela possui 26 títulos. A última vez que carregou o posto de campeã foi em 2015, sendo que em 2014 já tinha levado o prêmio para casa.

Consulado - 5h35min às 6h45min

A última escolar a desfilar na Passarela Nego Quirido será a Consulado. A agremiação do Saco dos Limões, na Ilha de Santa Catarina, vai apresentar o enredo Os Sete Reinados do Rei João, uma homenagem a um dos maiores carnavalescos do país João Jorge Trinta, o Joãosinho Trinta, que faleceu em 2011. Em 2018, Joãosinho completaria 85 anos. Na avenida, a Consulado não irá contar a sua biografia, mas os reinados de suas histórias, que serão os condutores do enredo.

A vermelho e branco foi fundada em 1986. Mas a sua história no Carnaval de Florianópolis começou 10 anos antes com o bloco Carnavalesco Consulado do Samba, formado por trabalhadores da Eletrosul recém-transferidos do Rio de Janeiro para a Capital catarinense. A Consulado já conquistou sete títulos no grupo especial. Em 2015, foi rebaixada para o grupo de acesso, mas venceu no ano seguinte e retornou ao grupo principal. 

Leia também: 

Confira a programação do Carnaval 2018 em Joaçaba

Veja o que as escolas de samba levarão para a passarela Nego Quirido neste sábado

Carnaval 2018: Florianópolis divulga programação dos blocos de rua e da arena central

Veja a programação do Carnaval 2018 em Laguna 


 Veja também
 
 Comente essa história